sábado, agosto 12, 2017

15 Trilhas para quem ama aventura e visita a Ilha de Santa Catarina



Para quem ama aventuras a Ilha de Santa Catarina é uma boa pedida. A natureza exuberante guarda caminhos sem igual! Existem trilha dos mais variados níveis de dificuldade que sem dúvida, levarão os visitantes a paisagens ficarão para sempre em sua memória.

Trilha Barra da Lagoa até Galheta
Nível de dificuldade: médio.
Atrativos: vista panorâmica, praia, Mata Atlântica, patrimônio histórico, casarios, inscrições rupestres, rio, fonte d’água.
 Tempo: 2h.
Início: Logo após a ponte sobre o Canal da Barra.
Fim: Praia da Galheta.
Principal dificuldade: Alguns trechos desaparecem sob a vegetação.
Como chegar: Subir à direita, logo após à ponte.
Atenção: A trilha deve ser feita com um guia.

Trilha Ilha do Campeche
Nível de dificuldade: médio.
Atrativos: quatis, vista panorâmica, praia, mata atlântica, passeio de barco, restaurante, inscrições rupestres.
Tempo: Entre 01h e 2h30 – Dependendo da trilha e das condições físicas do visitante.
Início e Fim: Praia da Enseada.
Principal dificuldade: Alguns pontos podem estar escorregadios por causa da umidade.
Como chegar: Os barcos saem diariamente da Praia da Armação. Da Praia do Campeche e Barra da Lagoa, variam conforme o período do ano.
Aviso: As trilhas são pagas e só podem ser feitas com acompanhamento de um Monitor Ambiental.

Trilha Naufragados
Nível de dificuldade: fácil.
Atrativos: vista panorâmica, praia, fonte d’água, Mata Atlântica, passeio de barco, restaurante, patrimônio histórico.
Tempo: 50min.
Início: Ponto final da linha Caieira da Barra do Sul.
Fim: Praia dos Naufragados.
Principal dificuldade: Sem dificuldades.
Como chegar: Seguir pela trilha que começa no ponto final da linha Caieira da Barra do Sul.

Trilha Ratones até Lagoa da Conceição
Nível de dificuldade: fácil.
Atrativos: Lagoa, vista panorâmica, passeio de barco, jacaré-de-papo-amarelo, Mata Atlântica.
Tempo: 30min.
Início: Na Estrada Geral de Ratones, na localidade do Canto do Moreira.
Fim: Costa da Lagoa, próximo à Praia do Sul.
Principal dificuldade: Subida íngreme.
Como chegar: Seguir logo após o Canto do Moreira.

Trilha Cachoeira da Solidão
Nível de dificuldade: fácil.
Atrativos: cachoeira, rio, praia, fonte d’água, Mata Atlântica, restaurante.
Tempo: 15min.
Início: Praia da Solidão.
Fim: Cachoeira da Solidão.
Principal dificuldade: Sem dificuldade.
Como chegar: Logo após à ponte, na direção da Praia do Saquinho, subir à direita.

Trilha Poção do Córrego Grande
Nível de dificuldade: fácil.
Atrativos: cachoeira, rio, fonte d’água, Mata Atlântica.
Tempo: 20min.
Início: Rua Sebastião Laurentino da Silva, próximo ao ponto final da linha Córrego Grande.
Fim: Poção do Córrego Grande.
Principal dificuldade: Sem dificuldade.
Como chegar: A partir do ponto final da linha Córrego Grande, subir pela rua Sebastião Laurentino da Silva até a entrada da trilha, que fica à direita.
Aviso: Do Poção para frente não existe mais trilha. A caminhada segue por dentro do córrego e a presença de aranhas torna-se comum, aumentando muito o grau de dificuldade.

Trilha Lagoa do Peri até Ribeirão da Ilha
Nível de dificuldade: difícil.
Atrativos: lagoa, jacarés, vista panorâmica, cachoeira, rio, praia, fonte d’água, Mata Atlântica.
Tempo: 3h30min.
Início: SC-406, na entrada da Pousada Alemdomar.
Fim: SC-401, no Ribeirão da Ilha.
Principal dificuldade: Extensa.
Como chegar: Seguir até o final da rua da Pousada Alemdomar.
Aviso: A trilha só pode ser feita com um guia.

Trilha Praia do Gravatá
Nível de dificuldade: fácil.
Atrativos: lontras, vista panorâmica, praia, Mata Atlântica.
Tempo: 30min.
Início: Estrada Geral da Barra da Lagoa, entrando na trilha da Parapente Sul.
Fim: Ponta do Gravatá.
Principal dificuldade: Entrada da trilha coberta por mato.
Como chegar: Ir até a trilha para Rampa de Parapente.

Trilha Caminho da Costa
Nível de dificuldade: médio.
Atrativos: lagoa, vista panorâmica, cachoeira, rio, praia, fonte d’água, Mata Atlântica, passeio de barco, restaurante.
Tempo: 4h.
Início: Final da Estrada Geral do Canto dos Araçás.
Fim: Praia do Saquinho.
Principal dificuldade: Extensa.
Como chegar: Seguir em frente, após o final da Estrada Geral do Canto dos Araçás.

Trilha do Morro das Aranhas
Atrativos: Praia, vista panorâmica, mata fechada, fontes d’água, inscrições rupestres, costões.
Grau de dificuldade: Médio. Caminhada com pontos de desníveis, exigindo apoio das mãos. Muitas subidas e descidas, pedras, lama e trechos de mata fechada. É importante ficar atento aos desníveis e costões íngremes.
Extensão: 2.200 metros.
Tempo de percurso: 1h.
Início e Fim: A trilha pode ser feita por dois locais: pelo Costão do Santinho a trilha inicia em frente ao Museu ao Ar Livre Costão do Santinho e termina na praia do Moçambique. Já pela Praia do Moçambique, a trilha inicia no fim da praia e termina no costão do Santinho.
Tipo de Terreno: A trilha contém muitos trechos com pedras, subidas e descidas com mata rasteira e gravatás. Também existem trechos alagados e lameados.
Principal dificuldade: Subida e descidas íngremes. Pedras, trechos com lama e mata fechada.
O que imprescindível: Levar água, utilizar roupas leves, tênis e bagagem com pouco peso.
Graduação para Bicicletas: Não é recomendado fazer a trilha de bicicletas. A trilha possui muitos trechos íngremes e rochosos, com risco de queda.
Como chegar: Para chegar na Praia do Santinho de ônibus é preciso pegar a linha Ingleses no terminal do Tican (terminal integrado de Canasvieiras) e descer no canto sul da Praia, próximo ao Resort Costão do Santinho. Já para ter acesso à trilha pelo Moçambique é preciso pegar a linha Costa do Moçambique no Tican (Terminal integrado de Canasvieiras).

Trilha dos Macacos
Nível de dificuldade: difícil.
Atrativos: lagoa, vista panorâmica, Mata Atlântica, macaco-prego, jacaré-do-papo-amarelo, quati, fontes d’água, passeio de barco.
Tempo: 3h
Início: Estrada Geral da Vargem Grande, próximo às últimas casas da Comunidade Santo Daime
Fim: Costa da Lagoa, entre as praias do Saquinho e do Sul
Principal dificuldade: Trilha praticamente abandonada e com bifurcações
Como chegar: Na Comunidade Santo Daime, pouco antes de um campo de futebol, segue-se à direita, no sentido Vargem Grande-Rio Vermelho

Trilha Ecológica do Rio Vermelho
Visitação: De terça a sexta, das 9h às 16h, e sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h. De terça a sexta as visitas ocorrem a cada 30 minutos, sendo dada prioridade para escolas e outros grupos previamente agendados. Nos finais de semana as visitas ocorrem a cada 30 minutos. O parque atende até 650 pessoas por dia a fim de minimizar o estresse dos animais.

Trilha Lagoinha do Leste
Nível de dificuldade: difícil.
Atrativos: lagoa, vista panorâmica, praia, fonte d’água, Mata Atlântica.
Tempo: 2h e 50min.
Início: Costão direito da Praia do Matadeiro.
Fim: Pântano do Sul, na rua Manoel Pedro de Oliveira.
Principal dificuldade: Extensa, subida íngreme.
Como chegar: Seguir em frente, a partir do costão direito da Praia do Matadeiro.

Trilha Monte Verde até Costa da Lagoa
Nível de Dificuldade: difícil.
Atrativos: lagoas, fonte d’água, vista panorâmica, Mata Atlântica, passeio de barco.
Tempo: 2h.
Início: Rua do Marfim, no bairro Monte Verde, próximo ao Clube de Caça e Pesca Independente.
Final: Costa da Lagoa, na Vila Verde.
Principal dificuldade: Extensa, trilhas secundárias e subida íngreme.
Como chegar: Seguir em frente, a partir do final da Rua do Marfim.
Aviso: A trilha só pode ser feita com um guia.


Trilha Praia do Saquinho
Nível de dificuldade: difícil.
Atrativos: vista panorâmica, praia, Mata Atlântica.
Tempo: 2h30min.
Início: Costão direito da Praia da Solidão.
Fim: Ponta do Pasto.
Principal dificuldade: Extensa.
Como chegar: Do costão direito da Praia da Solidão, seguir na direção da Praia do Saquinho.
Aviso: A trilha só pode ser feita com um guia.


Se você é iniciante, veja o que é necessário para garantir o sucesso da caminhada.
O que vestir
Roupas leves, de preferência fibras naturais, como o algodão, que evitam a transpiração excessiva. Nos pés, um calçado confortável. Botas de caminhada são sempre a melhor opção.
Em trilhas mais fáceis, roupas de cores claras são ideais, pois não absorvem tanto calor. Nas mais complicadas, no meio do mato fechado, é melhor usar cores fortes, que facilitam a identificação em caso de se perder.
O que levar
Leve uma boa mochila, resistente e que se adapte a seu corpo, para não prejudicar a postura.
Cantil para água. Se não tiver, leve garrafa plástica (pode amassar para não tomar muito espaço), mas não se esqueça de trazer de volta. Sempre se informe se há ou não fontes de água na trilha.
Leve lanterna sempre.
Kit de primeiros socorros (as drogarias vendem kits prontos).
Alimentação
No dia anterior a uma trilha, é importante comer carboidratos – pão, macarrão, raízes e tubérculos.
Leve alimentos não-perecíveis, como granola, frutas desidratadas e sanduíches leves e bem embalados. Não carregue alimentos que não suportam muito calor ou umidade.
Não cometa o erro de levar mais comida do que o necessário (trilheiros de primeira viagem costumam comer mais na trilha do que em um restaurante).
Para recompor a energia durante a caminhada, o ideal são barras de cereais ou banana seca. Banana e laranja, ricas em potássio, são as frutas mais indicadas para os trilheiros. Entre as vantagens, ajudam a evitar cãibras.
Para beber, água ou isotônicos. Leve comprimidos para descontaminar águas não-confiáveis no meio do caminho, à venda em drogarias, ou hipoclorito de sódio, na proporção indicada na embalagem.
E mais
É bom ter cuidado com animais peçonhentos (cobras, aranhas, escorpiões), que, ao contrário da lenda, não têm esta ou aquela época para aparecer.
Use botas, já que quase 90% dos casos de picadas atingem o tornozelo. Olhe onde pisa e ande fazendo barulho, isso afasta os animais. Dê uma olhada no link de primeiros socorros para saber como agir em caso de acidente.
Quando estiver em dúvida quanto ao caminho, escolha o que tiver mais marcado. Evite trilhas secundárias.
Não deixe nada pelo caminho. Se você conseguiu levar a mochila cheia, pode muito bem trazer seu lixo de volta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário