quarta-feira, setembro 02, 2009

Au bi der fo iu

 
 Gurias M.P
Carol Pereira

segunda-feira, agosto 10, 2009

Silva Jardim

A primeira vez que lembro-me de la ter pisado me remete a quando eu tinha uns 3 anos, e fui participar de uma gincana. Minha tia ainda estudava, e a prova surpresa da equipe dela era achar uma criança para cantar uma canção. Para todos que devem estar se perguntando: “não, eu não canto bem”, mas uma criancinha de 3 anos, em cima de uma carteira cantando, por mais desafinada que seja é no minimo engraçadinho, e eu ganhei, lembro-me até da roupa que eu usava, era uma vestido verdinho, com umas fitas de cetim (bom, acho que o cetim deveria ser moda no final dos anos 80, ou pelo menos espero). O fato é que ir para aquela “escola grande” foi um acontecimento para mim, tanto que eu nunca me esquecerei.
Depois disso, fiz dois anos de Pré lá, e por conta de uma enchente que devastou nossa cidade, inclusive minha casa, nós mudamos de casa para construir uma nova, e eu acabei tendo que fazer a 1ª série em outro colégio.
Em 1995, eu voltei. Lembro-me muito bem do meu primeiro dia de aula na 2ª série, lembro das professoras, das brincadeiras do recreio, lembro inclusive que em um amigo secreto eu não comprei o presente, fiquei com o dinheiro e dei meu penal usado para a menina que eu tinha pego. De 95 até 2004. passei grande partes dos meus dias lá dentro. Sorri, chorei, cantei, pulei, fiz gols, me machuquei, quebrei alguns óculos, briguei, fiz amigos e quem diria, a CDF até assinou o livro negro.
Meu primeiro emprego, foi onde? No Silva Jardim. Como estagiária, em 2001, e agora também é o local onde trabalho, em meu primeiro emprego depois de formada.
É enorme o amor e o carinho que eu sinto por aquele colégio. Pois ele sempre fez parte da minha vida. Não há corredor, sala, banco, pedacinho do pátio do colégio que não me traga alguma lembrança. Lembro-me das brincadeiras de roda, dos meus momentos de ginasta no antigo parquinho, da sala onde eu conheci a minha melhor amiga, que tinha decoração de Smurfs, da nossa foto nas escadarias da quadra de areia para o convite do Terceirão, do palco onde a gente apresentava as danças, teatos, são tantas coisas, tantas lembranças. Acho que grande parte dos alunos tem no peito esse sentimento de amor pelo nosso colégio, e também o defendem, assim como eu o defendia, em jogos, encontros culturais e nas feiras de matemática que eu era tão acostumada a ir.
Tenho orgulho de dizer que estudei no Silva Jardim, um colégio publico, da rede estadual, que me ensinou todos os valores, e me deu toda a minha base de conhecimento. Tenho uma imensa satisfação em responder quando me perguntam: “Onde trabalhas?”, “No Silva Jardim”.
Silva Jardim, parabéns pelos seus 55 anos de história. Se eu pudesse te dizer algo, te diria obrigada. Obrigada por tudo, e saibas que atrás de seu muros está o cenário de algumas de minhas melhores lembranças.

FIM.

Aproveitando o momento. Gostaria de dar os Parabéns ao Colégio, que tanto tenho orgulho. Pelo prêmio merecido.
http://www.sed.sc.gov.br/secretaria/noticias/2048-eeb-silva-jardim-e-a-representante-catarinense-em-premiacao-nacional-
Parabéns Tbem as duas responsáveis pela premiação Dona Eliziane e dona Zorene. Temos que reconhecer que sem elas esse premio não seria nosso.

Carol Pereira

quarta-feira, agosto 05, 2009

Dor

-->
Nós estamos acostumados a sempre tentarmos sair de situações desagradáveis, mas as vezes nos deparamos com casos, onde somos completamente impotentes, onde não podemos fazer nada, a não ser confiar em Deus.
Tenho fé, e uma relação bastante íntima com ela. Rezo todos os dias, e confiava que ele poderia salvar meu pai. Infelizmente, minha fé foi bastante abalada nesse final de semana. A saúde do meu pai tem piorado bastante, e parece que as únicas pessoas que confiam em sua reabilitação, somos eu, ele e um dos meus irmãos. Fiquei desesperada.
Minha relação com meu pai era um pouco distante, abalada por dramas familiares, separações e uma educação rigorosa, cobrada de mim por parte dele. A minha figura de pai era um pouco distorcida e desbotada. Depois de alguns anos, amadurecimento de ambos, feridas cicatrizadas, nossa relação foi se tornando algo bonito, cheia de companheirismo, afeto e amor. Tenho orgulho de meu pai, e sei que ele tem de mim. E agora tudo isso está por um fio. Pior, a vida dele para alguns parece ter um prazo de validade.
Eu não entendo a frieza de algumas pessoas. “ Não tem esperanças, jeito não tem mais, o pai de vocês vai morrer, e não tem nada que possamos fazer”. Obrigada pelas palavras de apoio. Sou adulta, sabia que a situação era grave, mas realmente não sabia que era para eu sentar cruzar meus braços e assistir a morte do meu pai. Mais insensível que isso, só falar isso para uma criança de 13 anos, que tem o pai como um herói, companheiro e amigo, e nem por um segundo teve a imagem do pai abalada como eu eu tive. Isso foi horrível. Meu desespero foi ainda maior, quando me vi dentro do carro chorando e olhei para trás e vi o desespero do meu irmão. Insensibilidade e falta de fé. Tá certo que devemos ter os pés no chão e estarmos preparado para o pior. Mas não podíamos ter ficado sem chão, nem sem esperanças. Mentiram para a gente, e agora nos jogaram no meio de uma realidade dura e cruel ao extremo. Pensamos que teríamos nosso pai bom de novo, forte e disposto como sempre foi, imagem bastante diferente da que temos hoje, onde ele tem 50 quilos e mal consegue ir ao banheiro sozinho. Nosso Pai motoqueiro, que nos levava para trilhas e nas voltas pelos lugares mais lindo da nossa cidade. Nosso pai gaúcho, cheio de orgulho do seu estado e histórias pra contar.
Por mais que me digam o contrario, não posso desanimar, nem perder as esperanças. Me disseram que Deus é o cara mais fodão do mundo, e que sabe o que faz. Acredito e confio nele. E espero que ele também ache que meu pai deve viver. Esses dias, estava olhando de longe, um amigo de meu pai foi visitar ele, e o levou para uma volta de moto. Meu Pai sentou na garupa, quando a moto começou a andar ele abriu os braços, e eu pude sentir ele apreciando o vento em seu rosto, a sensação de liberdade, tão diferente da realidade que ele vive hoje, de meses em cima de uma cama. Deus devolva isso para ele, e não me deixe perder meu pai, nem a fé no senhor. Obrigada.

Carol Pereira

sexta-feira, julho 17, 2009

Gauchês

Muita gente sabe que eu essa semana fui atormentada por uma música gaúcha, ela não saía da minha cabeça, por isso resolvi pegar a letra dela, para pelo menos cantar direito. A música é bem bonita mesmo, mas mostrando para algumas pessoas percebi que ninguém entende quase nada. Então, usando meus conhecimento gaúchos,(e a ajuda do Google) resolvi fazer uma tradução

Gritos de liberdade
Minuano tironeando a venta dos tauras,Relincho de baguais, faiscas ao ventoO brado terrunho do punho farrapoNum bate cascos medonho ao relento
Peleando em favor da pampa a pilcha sovada em tirasMarcando fronteira, provou lealdadeLivrando os trastes da campa na ventania rusguentaPranchando adaga a gritos de liberdade
Vento, cavalo, peão, marcas de cascos no chãoFronteiras em marcação, nosso ideal meu rincão
Em noites em que o minuano assusta os cavalosEscuto o tropel dos centauros posteirosAlmas charruas cavalgam coxilhasGuardando as fronteiras do sul brasileiro

Tradução

Minuano (Um vento muito frio e seco, no Sul do Brasil, se manifesta em meses de inverno.) tironeando (Amansar, ensinar) a venta (Nariz) dos tauras (Diz-se do indivíduo valente, guapo, arrojado, destemido, valoroso, forte. ).
Relincho de Baguais (o cachorro late, o gato mia, e o cavalo relincha, o Bagual um cavalo reprodutor, animal não castrado) faiscas ao vento.
O brado (grito) terrunho (terra, terreno, torrão) de punho farrapo (sei, farrapos, liberdade honra e terra, algo assim, gritar por liberdade, a luta dos gaucho por seus ideais).
Num bate casco medonho ao relento (seria o barulho que os cascos do cavalo fazem ao tocar o chão, era feio, e a noite uhahua).

Peleando (Trabalhando) a favor da pampa (Planície extensa coberta de vegetação rasteira, tipo, onde os caras criam os bois...) a pilcha ( bombacha, lenço chapel, isso é a pilcha do gaúcho, um homem vestido assim é dito como um homem apilchado.) sovada ( quer dizer gasta, usada, velha, uma coisa “em farrapos”) em tiras.
Marcando fronteiras provou lealdade (é o que se lê)
Livrando os trastes (para mim traste é uma pessoa que não presta, mas na musica eles deviam prestar) da campa (Pedra ou lousa que cobre a sepultura) na ventania rusguenta (barulhenta).
Pranchando (bater de lado) adagas ( Arma branca de lâmina larga, curta, com um ou dois gumes e pontiagudos) a gritos de liberdade. (Lutas por liberdade (y))

Vento, cavalo, peão, marcas de cascos no chão. (Ta, isso vcs entendem né, senão o único jeito vai ser eu desenhar)
Fronteiras em marcação, nosso ideal meu rincão (rincão = Lugar abrigado, cercado naturalmente por mato ou rio, recanto, refugío)

Em noites que o minuano assusta os cavalos (Ta, quem leu certinho lá em cima entendeu a frase né?)
Escuto o tropel (seria o barrulho dos cascos no dos cavalos fazem ao bater no chão)dos centauros (o que é um centauro? Então, o entrosamento do gaúcho com o cavalo é tão grande que chegam a ser quase centauros) posteiros (primeiros).
Almas Charruas (Charruas são Índios, que habitavam aquela região) cavalgam cochilhas.(Campina com pequenas e grandes elevações, em geral coberta de pastagem)
(ta, interpretando esse verso, a luta se estende a tanto tempo, muitos já lutaram por fronteiras, ideais, são seus antepassados... e os índios,(antepassados tbem, inclusive meus, minha pele alva e branca, não revela isso ao primeiro olhar, mais minha arvore genealógica sim) todos lutando por um mesmo ideal).

Então, talvez pela minha visivel quedinha por historia, ou por outro motivos, por meu pai, sei lá, mas essa música me toca profundamente, e sua letra é muito linda.

Carol Pereira

terça-feira, julho 14, 2009

Muda

-->
No final de semana ouvi uma frase que depois me fez pensar “Mudei muito, perdi a virgindade e a vergonha na cara.”, não que se perdendo a virgindade se perca a vergonha na cara também, a frase me chamou a atenção pelo mudei muito.
Quanto se pode mudar em 4 anos? Até onde mudar é bom?
Milênios de evolução nos confirmam que mudar é muito necessário para toda nossa espécie, mas mudar e deixar pra trás nossos valores não nos ajuda.
Não podemos ser tão mutantes a ponto de nos transformarmos em uma pessoa que a principio não eramos. Claro se a gente não tiver nenhuma qualidade e mudarmos para melhor isso é até bom, mas partindo do principio de que eu não conheço ninguém sem nenhuma qualidade, isso não é uma coisa tão boa assim. Então a palavra certa não é mudar e sim evoluir, se aperfeiçoar.
É impossível continuarmos puros por toda a vida. A vida nos ensina, mas cabe a nós escolhermos o que vamos querer aprender, seguir, ou não.
"Eu gostaria de olhar em seus olhos e ainda poder reconhecer
aquela menina que era minha amiga, que vi crescer
que compartilhava coisas bestas comigo,
que tinha sonhos, que tinha dúvidas,
não que eu não tenha orgulho de olhar para ela e ver a mulher que se tornou,
ver que muitos de seus antigos sonhos já realizou,
que o seu caminhos traçou.
Mas a vejo em uma vida tão perdida,
tão iludida,
e sem eu nada poder fazer.
Queria poder te abrir os olhos, te fazer enxergar.
Ver que o caminhos que estás seguindo, não é o melhor a se trilhar.
Mas já tive a sua idade, sei das suas vontades, e sei que não posso ajudar."


Fim.
Carol Pereira

segunda-feira, julho 13, 2009

Aquela Fase

Estou adorando meu trabalho no colégio, claro que peno para me acostumar com a postura de educadora que é exigida de mim, até porque minha área não é bem essa, mas estou mergulhando em um mundo que pensei que não ia enxergar, viver mais... o mundo dos adolescentes, cheios de sonhos, avassaladoras paixões e tempestades.
Passar os recreios com eles me remete a um passado nem tão distante, onde eu era personagem ativa dos recreios do colégio, onde era eu quem vibrava , ou via minhas amigas vibrando ao receberem aquele simples sorriso do garoto mais concorrido do colégio, que ficavam bobas pelo menino mais velho ter dito para a amiga de não sei quem que a achava bonita, que ficavam com a cabeça cheia de dúvidas tipicas da idade, dúvidas que nos tiravam o sono, nos faziam ficar horas ao telefone com a melhor amiga pensando em qual a melhor solução, dúvidas que se ocorressem hoje, resolveríamos em um piscar de olhos. Coisas que pareciam tão complicadas, nossos problemas pareciam tão imensos, o papo de rebelde sem causa não se encaixava para a gente, eramos rebeldes sim, mas não sem causas... Tínhamos todas as causas do mundo para achar que o mundo todo estava contra a gente, eram as espinhas, os cabelo revoltados, os pais que nos achavam muito novos para fazer algo, mas depois soltavam aquela frase “você não é mais criança”, eram os garotos que ora eram bobos, ora não nos davam atenção , eram os meus óculos, eram tantas coisas. E bem no meio dessa fase, tem-se que se escolher a profissão que deve-see seguir pelo resto da vida. Pronto instaura-se a paranóia do vestibular, nessa fase o caos está completo. Eles estão passando por tudo isso, e vejo como eu fui dramática, como eles são...
Depois disso eles vão passar a se acharem maduros, depois de surtar, achar que vão morrer, ele vão entrar na faculdade, eles aprendem, passam a achar os problemas do colegial bobos e então... BUUMM a vida muda todas as perguntas. Vão se ver adultos em um mundo canibal. Hoje olhando para o passado vejo que, quiserrá eu ter esses problemas agora. É bem verdade que a vida nos ensina, e aprendi, e hoje esses problemas não fazem nem cocegas em meus grande problemas, quem sabe no futuro meus grandes problemas de hoje virem um texto também... a vida é assim, o fato é que é muito bom poder viver isso vendo tudo por outro ângulo, e ver que essa fase nos faz sofrer em vão, hoje vejo que os bonitões estão barrigudos, fora de forma e sem aquele charme de antigamente, que as garotas populares já passaram do ponto, os gênios, continuam gênios, e os Nerds CDFs, um dia saem de trás dos livros, e vão viver a vida, e escrever blogs. =P

Carol Pereira

sábado, julho 11, 2009

Minha amiga secreta

-->

A cerca de uns dois anos eu te “conheci”, lembro que eu não gostei de você, pois o Rafa meu “Amor” te achou muito gostosa, e eu odiei, e te achava feia, só pra ir contra ele, mas tinha uma imensa inveja de seus olhos e do seu cabelo... Sem contar a inveja de você ter ganho a promoção e se encontrar com Paulete...
A pouco mais de um ano (pouco mesmo, alguns dias apenas), eu te conheci pessoalmente, você me achou metida, chata, escandalosa, e eu te achei meio 44, mas continuei com inveja de seus olhos.
A alguns meses eu te conheci realmente, verdadeiramente, e vi que você é mesmo a pessoa maravilhosa que todos me falavam, vi que você tem um coração lindo, e valores imensos. Adoro ouvir as suas histórias, adoro a sua boemia, falar com você é realmente muito bom, e ser sua amiga é muito fácil e gratificante. Lembro da primeira vez que falei com você e te achei legal mesmo, aposto como foi nesse dias que você deixou de me achar, metida, chata e escandalosa e começou a me achar retardada (sim, o primeiro passo para as pessoas gostarem de mim é me acharem retardada) foi assim: Era uma tarde fria em Lages, eu tava ouvindo uma rádio local, e começa um programa Gaudério, o cara fala: “ Aumente o volume, vai começar mais um tardes Gaudérias na 101 FM”, e eu te mandei uma mensagem de áudio falando isso, com um sotaque gaúcho, MEGA carregado, acho que você deve ter me achado a mais sem noção, mas foi nesse dia que passamos a conversar, e eu me encantei por você.
Paula, te adoro mesmo, e muito, tu és uma pessoa maravilhosa, e eu tenho orgulho de dizer que és minha amiga. Te admiro pelo que você é, pela forma como tratas as pessoas, pelas suas comunidades (Sim, eu olho as suas comunidades, e se, se conhece uma pessoa pelas comunidades que ela tem, você é uma pessoa ainda melhor), por se importares comigo, por ouvires minhas histórias, por perguntares sobre o meu pai. São essas pequenas coisas que tornam o meu amor por você ainda maior.
Te Amo.
Aprendo muito com você, obrigada!
Beijos, de sua amiga secreta Carol

(Essa carta foi enviada a Paula, essa semana, como parte do presente de amigo secreto, realizado para comemorar 1 ano das Gurias Mps.)


Carol Pereira

sexta-feira, junho 26, 2009

As Cartas que eu não mando...


Eu sempre penso em você, lembro do que me ensinou, e tento fazer de tudo para que o senhor tenha orgulho de mim, porque foi você que me ensinou todos os princípios que mais dou valor no mundo, sei que muitas vezes eu devo ter te decepcionado, te envergonhado, mas saibas que essa nunca foi a minha intensão, o senhor foi a pessoa que mais amei e admirei no mundo.
Até hoje fico relembrando as historias das suas viagens, das pessoas que conhecias, das vidas que passavam por você... Eu amava quando a gente ia para o sitio la na água fria e o senhor deixava eu ir dizendo qual era o caminho (como se você não soubesse, fazendo eu me achar a pessoa mais esperta do mundo porque sabia o caminho e você não), lembro daquele eclipse em 94, que eu mal entendia o que estava acontecendo, mas o senhor disse que era uma coisa que eu veria de novo tão cedo, foi por causa do que eu queria ser o " Rei " do Gado... E uma perfeita amazona, que eu estudava matemática pra ser tão esperta quanto você era. Era com o senhor que eu dormia de mãos dadas, e com você que eu assistia a novela, foi você que me ensinou que o melhor time do mundo era o Corinthians, e foi comigo que o senhor assistiu aquele ultimo jogo de futebol, e naquela mesma noite comentou sobre a abertura do Rei do gado. E depois na manha seguinte, me deu aquele ultimo olhar que na vida eu não vou esquecer... NUNCA.
Sei que fazem 13 anos, mas eu queria poder te dizer tanta coisa . TANTA! Te dizer que eu cresci, que eu tenho orgulho de quem você foi, que você faz uma falta danada, e que em todos os momentos importantes da minha vida eu penso em ti. No dia da apresentação do meu TCC, foi em vc que eu mais pensei. Apenas grandes pessoas são lembradas com amor, mesmo fazendo bastante tempo que se foram, então, onde quer que você esteja, saiba que seu papel foi cumprido com excelência aqui na terra, e eu vou pra sempre lembrar e amar o senhor! Que o azul dos seus olhos e a ternura de suas palavras não tinham igual! Te amo Zé!

Carol Pereira

quarta-feira, junho 17, 2009

O amo

Não sei nem como escrever um texto assim, não sou uma poeta e nem quero fazer um texto meloso e chato de se ler. Mas como não falar de todas aquelas coisas que me deixam nas nuvens, do quanto eu gosto de todos os carinhos ou de estar em companhia dele, do quanto acho lindos os seus lábios ou gosto do seu sorriso, da beleza dos seus olhos sem importar a cor. Como não falar das noites que já passei acordada pensando no seu toque, relembrando seu cheiro e revivendo em meus pensamentos nosso primeiro beijo, ou aquele primeiro beijo da minha formatura. Como não suspirar por eles?
Posso falar do quanto conhecer ele me fez bem, que hoje sou uma pessoa bem melhor do que era antes , e que gosto de nosso amor, sem muitas promessas, mas com sinceridade deixando que o tempo mostre nossos rumos, sem muitas cobranças, mas com a esperança dentro do meu peito.
Ou então posso falar que o amo e pronto, o amo porque quando troquei algumas palavras com ele me apaixonei por seu sotaque lindo, mas meio indefinido e pela sua meia branquinha.
O amo porque ao seu lado tudo é lindo
O amo porque o abraçando o mundo é perfeito
O amo porque teu beijo é o mais doce e quente do mundo
O amo porque quando eu o amo me sinto aprendiz
O amo porque “homem de farda é outro nível”
O amo porque quando ele me abraça eu ganho o mundo.
O amo porque ele me ouve e ri de mim, nem que seja para não me deixar sem graça. “Quando a gente conversa, contando casos besteiras, tanta coisa em comum, deixando escapar segredos...”
O amo porque meu lado C se aflora logo ao seu primeiro toque.
O amo porque amo tudo nele.
O amo porque o amor não tem razões, o amor não tem argumentos, ele nasce e cabe a nós tratar dele. Sei que o destino é traiçoeiro, mas eu vou deixar o meu amor em suas mãos.
“Não existe nada maior que o meu amor, nem mais bonito”

Carol Pereira

domingo, junho 07, 2009

A vida nos dá...

Na vida encontramos tanta gente, pessoas só passam, outras ficam, e algumas dessas que ficam acabam se tornando partes de nós.
Um dia eu cai de pára-quedas em um apartamento no centro de Lages, e isso mudou minha vida. Lá eu encontrei duas irmãs, que me entendem e me aturaram por um ano.
Quantas vezes eu chorei e vocês me entenderam, lembro daquela vez em uma banheiro de uma certa danceteria famosa da serra que eu chorei feito um bezerro desmamado, e você Any estava lá pra me amparar e fazer eu rir mesmo chorando, ou uma outra vez que eu levei um esporo da minha mãe e a vivi não fez nada, só deixou eu chorar no colo dela... São coisas assim, que são aparentemente simples, que marcam, e que fazem eu morrer de saudade. Saudade que tenho até mesmo daquela noite em que passamos juntas, as 3, olhando aquelas fotos e fazendo comparações... canudinho do bob's hehehe daquelas mesmas perguntas que sempre nos faziam rir, “Que nota?”, “E se você tivesse um ....” hehehe, as vezes me pego rindo sozinha. E os nossos códigos? (...).
Sair a noite, no frio de Lages para comprar uma coca, comer os macarrões da Any, a pipoca estourada por mim (sim, minha única maravilha culinária), o cachorro quente da vivi, o salame do Pai da Any, ou quando no meio da madrugada pintava uma idéia “vamos fazer Waffer?” tenho saudades de tudo isso, tenho saudade de ter vocês pra conversar, pra contar os meus assuntos repetidos, ou para me ouvirem contar aquelas coisas sem graça, mas que pra mim eram importantes... Saudades de dormir na sala todomundojunto, e saudades de ter a casa cheia de amigos.
Onde eu vou encontrar pessoas dispostas a passar uma noite toda na porta de uma danceteria esperando para dar um flagra em alguém? Passar umas 4 horas cantando a mesma musica se achando as rainhas do pop, só porque a gente achava engraçado e errava aquela mesma frase? Decidir ir para uma das maiores festas tradicionais do estado com 15 pila? Descobrir que Rave é muito chato hehehe, são tantas coisas. Na vida a gente tem que ter amigos para nos guiar quando estivermos cegos, (literalmente), ou te dar banho quando for atropelado por um hipopótamo, e que você também retribua, limpando sua sujeita, por mais que ela tenha cheiro de álcool e seja o dia após a sua formatura, para te acompanhar em um agradável passeio ao tanque, ou por uma volta para ver as vitrines, mesmo que você não tenha dinheiro nem pra uma coca. Ter amigos que você possa rir quando eles dão uns pulinhos dormindo, ou que possam ouvir abba com vc e te acompanhar na coreografia de triller, amigos para fazer um vídeo super animado da Janis ou do super show em que se canta Sweet home Alabama. Amigos para todas as horas.
E foi isso o que eu encontrei em vocês meninas, e por isso que eu sinto tanta saudade, e a “minha saudade faz lembrar, de tudo outra vez”. Amo vocês, cresci muito em um ano com vocês, perdi alguns pudores, tive um outro ângulo da vida e acima de tudo aprendi a amar vocês como irmãs. Sei que peco por não demonstrar isso constantemente, mas aqui em meu coração podem ter certeza que o amor se faz constante e vigoroso.

Amo vocês!






- Não é proibido - Carol Pereira e Vivy Lampert - Remix: Lucas Ribeiro






Carol Pereira

terça-feira, junho 02, 2009

Elegância do comportamento

Li um texto que falava sobre “ A elegância do comportamento”, que dizia algo como que isso é um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza. É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto. É uma elegância desobrigada. Bom, para alguns pode ser elegância de comportamento, para mim não passa de boa educação.
Talvez eu tenha recebido princípios de educação muito rigorosos o que pode até ter me prejudicado em alguns aspectos, pois me tornei uma pessoas extremamente envergonhada e as vezes até submissa, pois “sempre temos que tentar entender o outro lado”, mas uma coisa é fato. Educação nunca é demais.
Definitivamente fico chocada com a falta de educação e princípios que assola o mundo. Claro que não posso tomar por base, eu com a minha educação de cidadezinha do interior onde todo mundo se conhece, mas se existem pessoas extramente educadas em grandes metrópoles sinal que é possível sim ter princípios e boa educação em qualquer lugar. Boa educação não é dar bom dia e ser simpático a tudo e a todos, para mim isso passa até longe, isso chega a ser falso. Boa educação é não pisar em ninguém independente de nível social, não importa se a pessoas for o gari, a empregada ou o borracheiro, somos iguais, e ninguém tem o direito de se achar melhor do que ninguém por ter mais dinheiro. É tratar bem os idosos e respeita-los, eles já fizeram a parte dele pelo país e muitas vezes dedicaram boa parte da vida a cuidar e educar quem os despreza na velhice, isso é muito injusto. É ter boa vontade, as vezes pequenas atitudes de nossa parte podem fazer muito bem a alguém. Boa educação é pensar em sociedade e ser menos egoísta.
Boa Educação vem de casa. Tenho pavor de criança mal educada, mas a culpa não é delas, a culpa é dos pais, que não impõe limites, que acham que o filho é um Rei e que nada que ele faz é errado, e que acabam criando marginais, e sim é muito mais fácil jogar a culpa nos outros, na escola, na sociedade. Pai tem que educar, e saber impor o respeito, respeito faz parte da educação, se os filhos não respeitam os pais vão respeitar os professores? Vão respeitar quem? Eu defendo até mesmo algumas palmadas, eu levei algumas e não morri, claro que a educação não deve ser algo imposto a qualquer preço, para tudo isso de Elegância comportamental render é necessário que haja a compreensão de que é preciso ter educação, e isso fluir naturalmente.
Vamos dar valor ao que realmente importa. Vamos nos importar com os outros, e se importar não é querer saber sobre a vida dos outros por interesse, ou para julgar, mas sim querer ver as pessoas melhor, ajudando se possível, pensando no outro como gostaríamos que pensassem em nós. Sei que é piegas e parece até sermão de padre, mas gente, é verdade. Não podemos aceitar o declínio da sociedade que vivemos e achar que está tudo bem. Vamos fazer o que dá pra fazer, vamos começar por nós. Eu falo tanto de educação porque para mim é o básico, por exemplo, a política é um dos maiores problemas de nosso país, políticos corruptos e ladrões, se eles tivessem aflorados os conceitos básicos de Educação sabendo dos direitos e deveres, sabendo que temos que respeitar e pensarmos nos outros, pensando em sociedade eles não fariam o que fazem. A falta de educação e amor ao próximo é um dos grandes problemas da sociedade de hoje, se a educação parte de casa, vamos fazer a nossa parte. Não mudaremos o mundo em um piscar de olhos, mas se não fizermos algo em que mundo estaremos vivendo?

Carol Pereira

segunda-feira, junho 01, 2009

Gastei tantas palavras por gastar

- Texto originalmente postado em 21/09/08 -

Quando se acaba algo se acaba e deu, de um sumiço nas fotos, coloque em uma pasta oculta ou se forem materiais as guarde em uma caixa de difícil acesso, relembrar, sempre é bom, mas relembrar demais, só dá em uma coisa... Vc não vai esquecer... Sei q muitas vezes a gente não quer esquecer, por mais que seja o certo a se fazer, sei que dói, que parece q perderemos parte da vida esquecendo aquilo.. Mas se faz necessário.
Deixe para relembrar depois, com as magoas já amenizadas, fazendo assim com que o que realmente tinha de bom prevaleça.
A dor de ser trocado é gigantesca, mas se lembre,"Só perdemos o que é nosso" logo, não perdemos o que nunca tivemos. Dói menos pensar assim? Não, dói até mais... Pensar que vc ofereceu todo o seu coração e não recebeu nada em troca é bem ruim.
Você se sente menor, mesmo importante. Mas não se abale. Levante a cabeça e de uma chance a VIDA.
Abrace as oportunidades, nem que vc quebre a cara de novo. Mas se de ao luxo de sentir todo o fervor de uma nova paixão, aquele frio na barriga quando o celular toca, ou a janelinha do MSN pisca, aquela vontade de dar o primeiro oi, mas a vontade maior de esperar e "ver se ele da primeiro", isso é bom.
Experimente, ou melhor, vamos experimentar?

Carol Pereira

sexta-feira, maio 29, 2009

A paz é consequência

Onde está a paz que tanto almejamos? Como um ser humano pode matar a sangue frio uma criança que não representava perigo algum? Pais tratando filhos como se fossem animais, pessoas agindo com brutalidade em estádios, ruas, ônibus, é uma violência gratuita sem porque.
Uma árvore não nasce sem semente, então para nós termo paz, necessita-se primeiramente que está paz seja plantada. Podemos plantar a paz com gestos simples, com educação, boa vontade e um pouco de tolerância, obviamente não podemos ser tolerantes a tudo, senão viveremos em uma sociedade ainda pior, mas temos que medir nossos atos e sermos mais complacentes com todos, pois na maioria das vezes a paz morre por intolerância. A nossa educação não deve depende da dos outros! Tenhamos nós nossos princípios, a paz parte de cada um. Na sociedade que vivemos sofremos a cada dia a perca de princípios básicos de educação, que isoladamente podem não representar muito, mas somados geram uma sociedade cada vez mais hostil e desumana, cheia de preconceitos, discriminação, impunidade e acomodação.
Mundialmente estamos assistindo a morte da paz. Ela está sendo morta com guerras por coisas fúteis, ou guerras que se dizem Santas. Para mim nada justifica a guerra, nem o homem que se acha o mais poderoso do mundo, nem mesmo o homem que realmente foi . Guerra Santa? Ridículo. Deus gostaria de ver seus filhos se matando por uma pedaço de terra? Crianças morrendo por falta de mantimentos? Onde? Que mundo é esse que pessoas usam o nome de Deus para causar sofrimento, ou que acham mais correto usar milhões para matar pessoas do que para ajudar os milhares de famintos do mundo? Será que a paz morreu, será que a paz tá morta? Será que não ouvimos quando a paz bateu na porta?
Vamos abrir a porta para paz, vamos deixar que ela entre em nossas vidas. vamos pedir pela paz, mas do que isso, vamos fazer a paz. A paz começa a ser feita com nossos gestos e ações, então, mesmo que o resultado venha a longo prazo não desistamos dela, não vamos deixar que ela morra.
Vamos fazer a paz.

Carol Pereira

terça-feira, maio 26, 2009

Pra se guardar do lado esquerdo do peito

"Entenda que amigos vão e vem , mais nunca abra mão de uns poucos e bons!"
E o protetor solar?
Bom, sem protetor solar nesse texto. E sim Amizades. Sabias palavras a do autor acima, ainda mais para mim uma pobre garota pobre, com poucos amigos e muitas dúvidas, mas o que seria de mim sem meus poucos amigos? Meus amigos de infância, amigos do colégio, da faculdade, amigos que passaram boa parte das minhas duas décadas e pouco, junto comigo, rindo, chorando muitas vezes, mas sobretudo aprendendo, vivendo.
Amizade é um tema fácil de se falar, é amplo, pois amigos são pessoas, e na imensidão do mundo
existem vários tipos de pessoas, existe aquelas que estão sempre prontas pra ajudar,que não tem palavras macias e doces, mas mesmo com suas palavras ásperas conseguem te confortar, existem aquelas que não passam em branco em nenhuma das suas mais belas lembranças da infância, outras combinam com você em tudo, menos no gosto por uma certa atriz hollywoodiana, que cresceram com você, que vibram com as suas conquistas, que você ama como uma irmã, existem também os amigos com os quais você viveu as coisas mais intensas da sua vida e que se tudo isso gerasse um filme, com certeza você não iria querer que sua mãe visse, tem também aqueles que mais parecem anjos, pois sempre estão dispostos a ajudar, tem os amigos que te defendem e que você juraria em falso para defender se preciso, e por fim, existem aqueles amigos, que mesmo muito distante sempre estão presentes em seu coração e pensamento, e faz você ter realmente irmãos em outro estado.
Amizade é isso, não, amizade é TUDO.
Quem consegue viver sem amigos?

Carol Pereira

Vídeos MEC

Oi gente, como eu tinha prometido to passando o link com a lista dos Vídeos do MEC

Download da Lista de Vídeos

Em alguns computadores dependendo da versão do Linux a lista pode estar um pouco diferente, não em termos de conteúdo, mas na ordem que eles estão, mas é só organizar, acho que a lista deve facilitar.


Beijos e até o próximo encontro
E comentem no meu blog, pois parece que como seguidor não é todo mundo que está conseguindo.

segunda-feira, maio 25, 2009

Coisas da vida

- Texto originalmente postado em 20/09/08 -

A gente passa por cada vida nessa coisa não é? A vida é uma coisa tão complexa, e cada vida em particular nos reserva N detalhes inimaginaiveis.
Nós esperamos muito da vida as vezes, mas quando menos esperamos ela pode nos dar o que procuramos, em uma esquina qualquer ou em URL podemos dar de cara com o amor de nossa vida, amor esse que nem cogitamos a existia, e ai a gente se dará conta que choramos, desperdiçamos tempo precioso, por algo que nem era o melhor, e veríamos que a pessoa que a gente lembra toda vez que a Rita Canta "Entre todos os amores e amigos de vc me lembro mais" nem é mais a mesma.
Mas quando esse encontro casual acontecer, de um chance ao amor, uma chance a vida.Porque na vida é essencial alguém para que a gente possa compartilhar os momentos ruins, as felicidades, alegrias, anseios e dúvidas, alguém diferente de pai, mãe essas coisas, alguém que seja sua metade, e que vc tbem o complete.
Nunca pense que seu amor é tão grande que pode valer para os dois. Isso não é real. Amor pra ser amor tem que ser recíproco e ponto final.
E não adianta, escrever sobre o amor é até fácil, mas quanto mais a gente cresce mas ele nos complica a vida a atormenta a ideia.
Sorria mais, leve a vida simplesmente até é um bom nick, mas com o amor no meio da vida fica difícil levar as coisas simplesmente!rsrs
Mas São coisas da vida, e a gente não sabe se vai ou se fica.

Carol Pereira

sexta-feira, maio 22, 2009

Coisa de fã

-->
Quando eu era pequena houve uma febre de Chiquititas, semelhante ao que presenciamos a pouco tempo com Rebeldes, e na época eu era uma criança e achava ridículo as meninas imitando elas, morrendo por elas, no entanto, hoje eu tenho 22 anos e sou apaixonada por uma banda, que é mais velha que eu, e já fiz coisas que se me contarem que outra pessoa fez ainda sou capaz de achar no mínimo sem noção.

É uma admiração, uma emoção, uma coisa que mesmo que eu tentasse por horas escrever aqui eu não conseguiria. Viajar horas, passar frio, fome, esperar por muito tempo até o show começar, outro bocado de tempo tentando entrar no camarim, nada disso faz a gente desanimar, porque por mais demorado e duro que seja passar por tudo isso, os cinco minutos com nosso ídolo compensa tudo. E quem pensa que é loucura, que não vale a pena, é obvio, que é porque não tem o mesmo sentimento que a gente, porque só a gente entende.
Mas até onde que isso deixa de ser apenas um sentimento que nos faz bem e começa a se tornar uma coisa que já não se consegue mais controlar e passa a ser prejudicial? Bom, eu não sei, mas cabe a cada um pesar as consequências de seus atos e cuidar para que isso não se torne uma “doença”. Conheço um grupo gigantesco de fãs dessa banda, e já começo a notar sintomas dessa doença em alguns dos membros, e isso me preocupa, não acho sadio uma pessoa se entregar completamente a uma turnê, vivendo uma vida que não é dela, pois somos apenas platéia e muitas vezes a vontade de estar no palco, ser parte integrante da equipe é tão grande que faz algumas pessoas perderem a cabeça e viver em um mundo que não é o real. As vezes vejo resquissios dessa doença até em mim, pois qual pessoa sã se sente tentada a viajar horas para assistir um show que já viu quase uma dezena de vezes? Explico ... Tudo começou por causa da banda, a culpa foi dela, mas o negocio cresceu, e hoje quando penso em viajar para ir a um show, não penso só no show em si, e sim em quem encontrarei lá, meus amigos, companheiros enfermos que se tornaram parte da minha vida, graças a tudo isso.
É por esse conjunto de coisas, por lugares que se conhece, por pessoas que se encontra, e pelo nosso ídolo em si, que o sentimento de um fã é alimentado. Hoje posso dizer que se não fosse essa banda minha vida seria completamente diferente, acho que não teria tantos amigos, não conheceria tantos lugares, não seria tão feliz. Mas por mais que isso seja grande parte da minha vida, a vida não é só isso, eu tive que fazer minha faculdade, na vida adulta temos que trabalhar (sim, temos.), temos que viver em uma sociedade que não é constituída só por fãs, pessoas que vão nos julgar, temos que viver situações cotidianas, faz parte da nossa “vida real”, temos que vive-la, temos que deixar que o ser fã faça parte de nossa vida, e não que nossa vida gire em torno de ser fã.
Alguns devem estar se perguntando... que banda é esta que fez maravilhas na vida dessa garota? E eu então respondo, o nome da banda é Kid Abelha, e a vocalista Paula Toller. Sim eu amo ela, e agradeço por todas as alegrias que mesmo indiretamente ela já me proporcionou. Agradeço pelos incontáveis risos que já dei, pelas lágrimas que já derramei, pelas vezes que me peguei embasbacada vendo um vídeo ou ouvindo uma música, pelas pessoas que conheci e fazem o Brasil até parecer pequeno, provando que para o amor não existem mesmo fronteiras, e pela pessoa que me tornei. Dizem que somos fruto da sociedade com a qual nos relacionamos, então muito do que sou, devo ao povo que me relaciono diariamente, povo que conheci graças ao Kid Abelha.

Carol Pereira

quarta-feira, maio 20, 2009

Coração Babão

- Texto originalmente postado em 25/09/08 -

O amor é um bichinho atentado, Ele vem e se maloca dentro do coração da gente e pensa que é o dono de tudo. Então vc pensa, nossa, que coisa Boa, meu coração está cheio de Amor. Ferrou-se. Nesse momento vc está dominado.
O Coração é frágil, bobo, adolescente, se entrega de tal maneira que alguns se perdem pra sempre.Perder o coração é trágico. Por isso, nunca dê ele a ninguém...
Se te roubarem o coração, bom se alguém te roubar o coração a coisa fica até meio poética, mas é cagada tbem.
Então o que fazer??? Trancar o coração a sete chaves e jogar a chave na calabouço do Dragão? Sei lá acho surreal, e além disso, vc não quer matar o seu coração, só proteger ele.
Ah e quanto a não dar o seu coração pra ninguém, tbem é errado, vc pode dar ele, só cuide para não se arrepender.
O Coração é bobo, mas encontrar alguém pra encher ele de amor, é ótimo.
Controverso o amor... Uma hora eu falo que que é ruim ter o o coração cheio de amor, outrora falo que é bom. Estranho. Mas eis o Amor.
Uma Hora nos lança em uma eterna primavera, tudo são flores e aromas delicados, ou então nos afunda em um pântano de solidão mórbido como o outono.
Ë o amor...

Carol Pereira

domingo, maio 17, 2009

O Ambiente universitário

Todo mundo deveria fazer uma faculdade, não só pelas tendências mundiais, pelo mercado de trabalho, pelo seu futuro, mas por você, pelas experiências de vida, para viver, aprender, criar seu ciclo social, ser feliz.

Um dia Li em algum lugar que os melhores anos da juventude são quando se está na faculdade, e eu não acreditava nisso, até passar por ela.

Quando entrei na faculdade eu tinha 17 anos, era envergonhada, cheia de pudores, e achava que sabia bastante da vida. Na verdade eu era uma criança, e não sabia nada de nada.

Foi a evolução de uma patinho feio pra alguém forte e um pouco mais confiante.

Foi a descoberta do amor mais lindo e enorme do mundo, que foi de platônico a engraçado em pouco tempo, são história, pessoas, viagens.

Criciúma a ilha da magia, o CA, o posto, as impressões do primeiro dia, Tia Meg, os ponto e virgula do Ramon, o poney do Guzatti, Cerveja pro Alvarino, o Rexona do Rômulo, o Vendel, o olhar da Juliana, a mulher do coordenador, o gordo, são coisas que jamais vão sair da minha memória. No Baile de formatura cada um tinha um brilho no olhar, foram 4 anos, a gente cresceu, criou laços, e agora cada um tem seu rumo, nem tudo se perdeu, mas tudo isso já ficou no passado.

Um dia meus filhos vão perguntar: “Quem é aquele que a mamãe deu oi?” e eu direi: “Ele fez faculdade com a mamãe”, para alguns vai ser só isso, mas também terei amigos para toda a vida, com quem quero vibrar com as conquistas, poder participar da vida, ajudar com os problemas, quero que sempre estejam presentes, perto de mim.

Já morro de saudades de todo aquele universo, dos corredores, escadas, dos desconhecidos que eu sempre encontrava, do JUNIPLAC, da copa NERD, de todos os nossos eternos calouros e até daquela garrafa vermelha com o adesivo de SI.

E nunca na minha frente ninguém falará mal da UNIPLAC, porque foi lá, que eu aprendi a viver.

Carol Pereira

sábado, maio 16, 2009

Juliet

Eu lembro do primeiro dia que eu assisti lost. Eu assisti o primeiro, e mal pude esperar o dia seguinte pra ver o segundo episódio... E eu achava o Jack e a Kate phodásticos ao cubo, e até estava em uma comunidade “eu amo o Jack e a Kate”, mas isso por que eu ainda não conhecia a Doutora Juliet, e os dois ainda não tinham virado bananas.
Quando Juliet apareceu, a minha amiga odiava a tal da loira, e eu não tinha motivo nenhum para gostar dela, ela fazia parte dos outros, parecia ser amiga do Ben, mas contrariando a todos, eu tinha uma estranha simpatia por ela, sei la se por causa do olhos que passam uma serenidade incrível, ou por desde o começo ser uma pessoa que dava pra ver que tinha uma alma boa.
Aos poucos fui conhecendo a história da personagem, e vendo o quanto ela era boa, e o quanto ela já tinha sofrido, e continuou sofrendo, ajudando os outros e sofrendo, primeiro pelo Doutor banana, (Sim, porque o Jack ficou sem brilho nenhum depois que saiu da Ilha, quando voltou eu pensei que fosse mudar, mas nada aconteceu!) que deixou ela, porque gosta do ata e desata com a Kate, que por sua vez também não se decide entre Jack e James, e pra quem sobrou a bomba? Pra Juliet, e literalmente.
Eu fico triste, porque eu me coloco no lugar dela, imagina, você se sentir ameaçada por uma mulher, e duplamente.. Porq para mim, a Juliet, apesar de no ultimo episódio ter demonstrado amar mesmo o Sawyer, sempre teve, e terá uma quedinha pelo Jack, então ela tem os dois homens da vida dela apaixonados pela mesma mulher, que no caso, não é ela, e ela tem muito medo de passar por toda a dor da perda de novo, então, ela diz umas das frases que mais me tocou nessa ultima temporada "Se eu nunca te encontrar, eu nunca terei que te perder", preferindo renunciar ao amor dela diante da dor de possivelmente ser trocada, ou de ficar sozinha de novo pois ela já havia perdido outros dois amores anteriormente. As tempestades que o tempo promove na vida dela, são muito intensas, vive passando por turbilhões de emoções, vive tentando ajudar todo mundo, e quem acaba levando a pior muitas vezes é ela. Para mim ela foi peça fundamental em toda essa 5ª temporada, pois ela tinha controle sobre Sawyer, (falando com outras palavras, ela mudou a vida dele, não mudou?) e a ultima cena? O fato que pode ser o ato de desfeche de toda a trama foi dela. E espero mesmo, que ela esteja na 6ª temporada para que LOST finalmente a recompensem por tudo o que ela passou lá, e ela possa rever a irmã e viver feliz ao lado de quem ela escolher, Pois merece, e se ela morrer com a explosão da bomba vai ser uma grande injustiça, pois eles estarão matando a grande heroína da trama, não só pelo fato da detonação, mas por tudo o que ela tem feito desde primeira vez que apareceu no encontro com Jack quando ele era prisioneiro, e depois, continuando ajudando a todos, mesmo com todo mundo contra ela, desconfiando, e não facilitando em nada a sua vida no acampamento. E mesmo assim, ela continuou serena, não se abalando com a desconfiança alheia, não se deixando tomar por rancor, e colaborando de forma decisiva em todas as ações.
Então como uma tentativa de desabafo, resolvi postar esse texto no blog hoje, somente para demonstrar que ela é minha preferida, e que não ficarei nada feliz se ela morrer, e que é claro, estamos falando de ficção mas se na vida real, o mundo tivesse pessoas de caráter como o dela, estaríamos vivendo em um lugar bem melhor.

Carol Pereira

quinta-feira, maio 14, 2009

Saudadela

- Texto originalmente postado em 25/09/08 -

P
orto Alegre me doí não diga a ninguém.
a saudade bate.
Ultrapassa limites
late dentro do peito.
Aumenta todo dia
avacalhaaadaa essa saudade.
Lágrimas as vezes derramo quando me pego pensando em nós
Imagino, a gente juntas novamente.
Nunca pensei que esse sentimento se tornaria tão Forte
e inabalável.
Maravilhoso, eu ter encontrado na vida vcs,
inenarrável Honra. Quando estou com vc, me sinto
livre pra ser o que eu quiser, posso ser boba, criança,
até ter daqueles momentos mongol forever,
Vale a pena relembrar cada mínimo detalhe
a gente dormindo no Chão no Rio, ou
na calçada do Aeroporto em POA sentadas,
espertando o metro,
saindo pro Leblon,
subindo o Morro da Urca.
Ai Meu deus, o quanto já
Rimos Juntas né?
Até já choramos, de alegria e nas despedidas.
Indo e vindo, e nos encontrando sempre!
Surtando juntas!!
Saudade de tudo isso.
Ahhhh como essa saudadezinha doí.
Cala a alma,
abala o estado de espirito.
Realmente Dói
ou não. Pois Só sentimos Saudades do que é Bom.
loucura ficar triste relembrando todos os nossos momentos Lindos

De amizade, amor, companheirismo, e é bom relembrar até mesmo dos momentos virtuais, pois, nunca algo tão longe fisicamente se fez tão presente em minha vida. e o tempo todo.

E a nossa Saudade é Provisória, O Brasil é pequeno para as Gurias M.P!

Carol Pereira

quarta-feira, maio 13, 2009

História

(Outro dia perguntei para a minha amiga, sobre qual tema eu deveria escrever um texto aqui para o blog, entre outros ela citou o tema História. Então resolvi escrever hoje sobre esse tema... Para tentar defender e falar um pouco sobre assuntos que acho interessantíssimos, mas que sei que tem gente que nem nunca ouviu falar... Então vamos la..)
A História do Brasil é riquíssima, mas pouco conhecida, essa nossa mania de gostar do que vem de fora nos torna “desconhecedores” do nosso próprio mundo. Achamos lindo a marcha para o Oeste dos Americanos, mas muitos nada sabem sobre a empreitada tortuosa que nossos bandeirantes passaram para adentrar no sertão e assim deixam de conhecer uma história tão rica quanto a “importada”.
Outro grande marco da nossa história, é o fato que muitos conhecem como “A fuga da Família Real para o Brasil”, imaginem, se em alguns dias perdêssemos nosso presidente, ministros, todo o senado (agora me peguei rindo sozinha, pensando na limpa que seria, mas esqueçam o comentário desses parênteses), as pessoas mais ricas e influentes de nosso país e estivéssemos prestes a sermos invadidos por tropas inimigas... Desesperador? Mas foi isso que aconteceu como o povo de Portugal que viu toda a sua monarquia partindo pelo seu porto. Monarquia que muita vezes é pintada como uma grande comédia com uma rainha louca, um príncipe regente medroso, uma princesa puta, uma corte corrupta, um príncipe herdeiro inconsequente entre outros adjetivos. Mas a fuga para o Brasil não deve ser encarada como um ato de covardia e sim de extrema esperteza pois diante de tantos outros países que viram seus monarcas serem destruídos Portugal saiu ileso, e a monarquia ainda pode desfrutar da vida nos trópicos, com sol, água fresca e a linda vista do Rio de Janeiro. Realmente Dom João não era tão burro quanto a caricatura que pintam dele faz ele parecer.
Somos uma nação nova ainda,“Diante das nações que tem milênios, o Brasil apenas tem 500 anos” mas que já temos belas Histórias para contar e também para resgatar. Temos histórias de amor pela pátria, luta pelos ideais, luta pela liberdade, já fomos vilões e mocinhos de nossa própria história, e nossa grandeza vem do passado, quem dera todos nós tivéssemos o amor pela bandeira de seu estado como tem os gaúchos que lutaram por liberdade, honra e terra, ou senso de justiça igual ao de alguns mineiros que deram a vida por seus propósitos, braços fortes iguais aos dos escravos que ajudaram a erguer nosso país, cultura como a dos Índios que aqui viviam ou a dos imigrantes vindos de todas as partes do mundo. O povo que somos hoje, é fruto de muita coisa que aconteceu ao longo dos séculos, aqui em nosso país, a nossa história é sim muito rica, e não entendo como muitas pessoas não se interessam por ela. De certa forma acho que a repudia de alguns pela história deve estar ligada a didática aplicada quando lhes foi ensinado, pois a história é tão bela, que não sei como alguém pode não gostar.
O que é um povo sem História? Sem sabermos de onde viemos como que vamos dar valor ao que temos? Com as experiências do passado podemos melhorar nosso futuro.

Carol Pereira

Projeto Site da Escola

O projeto “Site da Escola” começou a ser desenvolvido no ano de 2007 por um grupo de alunos, com ajuda de uma professora e da equipe gestora. Em 2008 as atividades envolvendo o site foram reduzidas, onde as atualizações e informações se restringiram, agora no ano de 2009 a escola resolveu retomar as atividades com força total, atualizando as informações do ano de 2008 e fazendo um levantamento dos projetos que estão sendo desenvolvidos no ano letivo de 2009 para serem expostos no site, também se propõe a cobertura completa (fotos e vídeos) dos eventos realizados na escola.

Com o site a escola busca integrar alunos, professores e comunidade, repassando informações, e mantendo todos por dentro do que esta acontecendo na escola.

Nosso endereço : CLIQUE AQUI

O site está passando por uma atualização, em breve estará completo, aguardamos sua visita.
Carol Pereira

terça-feira, maio 12, 2009

Teodoro


Meados de 2003 e eu recebi uma noticia que me tirou o Chão... Eu ia ter mais um irmão!
Odiei tanto, mas tanto que chorei varias vezes contando para as minhas amigas as N razões de aquela criança não ter razão nenhuma de existir. Não era filho do mesmo pai que eu, minha mãe já tinha a gente, não precisava de mais ninguém.
Quanto egoísmo. Era ciume.
Passado esse choque, veio outra perturbação! E se fosse menina? Lá se iria o meu posto de menininha da casa, menininha vó, menininha de todo mundooo! 3 meses de angustia e era um menino. UFFA.
Então o próximo passo seria achar um nome bem Lindo pro retardadinho que ia nascer.
Eu queria Teodoro, e a gente poderia chamar de Dórinho! E assim foi por mais de um mês, eu chamava a barriga de Teodoro! hehehe  Até que um dia eu e minha mãe já com seis meses, gorda como uma porca e atrapalhada como sempre caiu. Meu desespero foi gigantesco. Descobri que eu amava o Teodoro, digo, o Bebê e que nunca, jamais queria que algum mal passasse a um km de distancia dele. E daquele dia em diante comecei a ter noção do tamanho da importância daquele ser na minha vida.
Depois disso tratei de achar um nome que eu gostasse e não parecesse que estava chamando meu bisavô quando chamasse por ele.
Ajudei minha mãe a comprar todas aquelas coisinhas pra ele e mesmo antes dele chegar eu já sentia o cheirinho de bebe pela casa.
E naquele dia 24 de Junho estávamos em uma aula de literatura, ao redor de uma fogueira, nunca demorou tanto para chegar as 19:30 e dar a hora de eu ligar para o hospital, eu e a Su fomos até o orelhão. E então eu chorei!
Naquele dia nasceu um dos amores da minha vida. Que me beija da forma mais doce, que me chama de Cól e que dividi lugar com a minha sombra quando eu estou em casa.
Que faz eu sentir saudade dele depois de um dia só sem vê-lo.
E faz tambem eu perder uma tarde inteira rodopiando na grama com ele só porque ele queria um vídeo massa. Que todo dia faz eu rir, quando depois do almoço vem no meu ouvido e fala "Cól e hj qual é o Prano", e faz a mãe gritar "Esses dois quietinhos assim só podem estar fazendo arte", frase até que bem verdadeira. hehehe
Que faz eu perceber que são amores como este que fazem a vida valer mesmo a pena. Amores sem interesse, ou melhor, apenas com um interesse, ver o outro feliz.
Obrigada Deus! Por ter me dado esse presente! Esse menino maravilhoso que só alegra a minha vida. Meu companheirinho, meu anjo, meu amor.
João Marcelo.
Carol Pereira

segunda-feira, maio 11, 2009

Era uma vez

Era primavera, uma noite chuvosa, em uma cidade fria, com uma receita errada, de uma bebida com o nome engraçado.
Era um show animado com uma cantora em ascendência, com amigos companheiros e com uma surpresa.
Era um fim de noite animado, com um amigo querido, um step e uma ladeira.
Era uma mesa cheia de amigos, histórias engraçadas, planos surgindo, a paixão derradeira.
Era?

Carol Pereira

domingo, maio 10, 2009

O Lado C

Primeiro gostaria de deixar claro que não me sinto a Carrie Brashaw, mas quando me refiro ao Lado C, estou tratando do mesmo assunto que ela.
Então para os mais desatentos ou para quem não conhece a Carrie, sobre o que se trata o Lado C? Bom, o Lado C, é aquele lado que até certa idade tratamos de esconder mas depois de um certo tempo ele vem a tona, de qualquer jeito.
Desejo, paixão, emoção é disto que se trata o Lado C.
As borboletas no estomago também estão ligadas ao tal lado, em um estagio mais primário, em estágios mais avançados as borboletas dão lugar a um mar de larva incandescente, que te priva dos sentidos e te faz ir ao céu e voltar em segundos, te deixa sem ar, sem controle e pronta para morrer.
O Lado C também tem haver com o amor, no mais puro e angelical sentido da palavra.
Milhares de pessoas ao redor do mundo buscam viver o seu Lado C. Duvidas são freqüentes neste campo, e algumas nem Laura Muller pode esclarecer.
Quando a Laura não consegue, é hora de irmos a luta, bolarmos as regras, definirmos as estratégias, apostar em nossas especialidades e sempre contarmos com um elemento surpresa.
O Lado B é ruin, o Lado A é sucesso, mas o Lado C é muito melhor.

Carol Pereira

sábado, maio 09, 2009

As Mentiras que os homens contam

“As mentiras que os homens contam não julga, apenas constata. Os homens não mentem, é porque precisam. Para poupar as mulheres e também para se proteger delas.”

Isso é o que diz um homem, mas e o que as mulheres pensam sobre isso?

Eles mentem porque homem é homem e isso não é machismo, homem é diferente de mulher, não sei como, mas eles uma habilidade gigante de não deixar o relacionamento entrar no coração, não que sejam sem coração, mas eles conseguem separa-lo do resto dos membros. Nós mulheres não.

E eles também tem a habilidade de fazer com o que queiramos que eles mintam pois, quando sabemos a verdade, por mais correto que seja sempre querer ela, as vezes dói, então, quando a escutamos, reclamamos, esperniamos obrigando-os a mentir. Claro a culpa é sempre nossa. Os homens mentem, porque quando escutamos um, “eu não te amo, só gosto muito, muito” dói.

Então os homens mentem por natureza e nós que devemos mudar? Não. Não exatamente isso. Mas quantas das mentiras deles nós sabemos que não é verdade? Quantas vezes fugindo da verdade, sem palavras diretas pedimos uma mentira? A mentira serve muitas vezes como escudo para ambos. Para o homem se safar e para a mulher se iludir. Os homens mentem e as mulheres se iludem. E assim caminha a humanidade, com relacionamentos cheios de lacunas que deixaram de ser preenchidas por verdades, mas ganharam remendos de mentiras. A verdade dói. Nós sempre queremos ouvir coisas bonitas, mesmo que elas sejam mentiras. Mas em cima de mentiras não se constrói nada. Temos que saber a verdade pra construir nosso plano de ação.

Com o coração não se mentem, não tem como, mulheres mentem menos porque nosso coração sempre envolvido.

Quantas vezes você mente por dia? E porque mente? Sempre prefere a verdade? Já mentiu para não magoar alguém? Reflitam...
Carol Pereira

Informática e Educação

A Informática vem adquirindo cada vez mais relevância no cenário educacional. Sua utilização como instrumento de aprendizagem e sua ação no meio social vem aumentando de forma rápida entre nós. Nesse sentido, a educação vem passando por mudanças estruturais e funcionais frente a essa nova tecnologia.
Houve época em que era necessário justificar a introdução da Informática na escola. Hoje já existe consenso quanto à sua importância. E é sabendo disso a Escola de Educação Básica Silva Jardim, vem incentivando o uso da sala informatizada por professores e alunos para que a escola possa tirar proveito de mais esse meio de ensino.
A seguir algumas fotos de alunos utilizando a sala de informática.
Carol Pereira

Curso

quarta-feira, maio 06, 2009

Bit a Bit

Cada vez mais as pessoas se aproximam no mundo, eventos, acontecimentos, as noticias chegam até nós de forma surpreendentemente rápida, tudo está interligado, realmente em uma “grande rede “.
Em minha vida, muita coisa gira em torno de um computador, primeiro a faculdade que fiz, minha carreira, que estão diretamente ligadas a ele, depois vem o caso da comunicação, a facilidade de comunicação que o computador juntamente com a internet nos da, é gigante, podemos falar com pessoas de todo o mundo, e assim é, tenho amigos de toda parte, com quem tenho contato diário e por isso, realmente fazem parte da minha vida.
Outro ponto importante sobre a internte, me vejo a alguns anos atrás, quando ainda não tínhamos internet banda larga em nossa cidade, o nosso atraso era imenso, pois era tudo no “boca a boca”, as novidades tecnologias demoravam a chegar, pesquisas eram limitadas a livros, as cartas não tinham a rapidez e a eficiência dos emails, nada era tão rápido quanto é hoje.
Eu sempre sinto necessidade de acessar a internet, pois alguns podem achar besteiras, mas outros me entendem perfeitamente: Quem tem contato diário com a internet, acaba gerando uma vida virtual, com seus contatos, suas comunidades, com ambientes de mensagens instantâneas (msn), email, blogs, fica acostumado a buscar as noticias em sites que habitualmente usa, cria seus hábitos, e se torna difícil ficar dias sem ter contato com tudo isso. Realmente, temos uma vida virtual, e sendo assim, empresas, entidades também querem tirar proveito de tudo isso. Se existem pessoas virtuais, que tem toda sua vida voltadas a internet, porque não existir também, entidades virtuais? E é isso que vem acontecendo, cada vez mais empresas, lojas, serviços em geral, vem também se estabelecendo virtualmente, e é ai, neste ponto que abre caminho as profissões da computação, que é onde eu me encaixo. Pois, é um grande mercado, em ascendência mundial, que assim como outros mercados necessita de mão de obra qualificada e idéias inovadoras.
E é assim, com tecnologias de hardwares e softwares cada vez mais apuradas que o mundo vem se estreitando, as pessoas se comunicando mais, e vem acontecendo a tal da globalização.
Está certo que ainda existem pessoas que mal sabem escrever o seu nome, que não possuem energia em casa, que não tem acesso a nada, isso gera um abismo tecnológico que cabe a nós, profissionais da Educação tentar diminuir. E é isso que busco fazer com os alunos que freqüentam a sala informatizada, tentar torna-los aptos a viver em um mundo cada vez mais informatizado.
Carol Pereira

Reflexão sobre o vídeo : Do sonho aos ares

O vídeo sobre a vida e obra de Santos Dumont mostra como é importante nós lutarmos por nossos sonhos, sermos persistentes, e jamais desistir diante da primeira dificuldade.
Para mim, existe uma relação entre o invento de Santos Dumont e a informatização que estamos vivendo, cada um em sua época contribuiu para diminuir as fronteiras do mundo, um fisicamente, pois o avião é um eficiente meio de transporte, principalmente para longas distâncias devido a sua velocidade, e o outro virtualmente que também vem diminuindo as distâncias com uma estupenda velocidade e facilidade.
Ambos enfrentaram dificuldades no inicio, pois achavam que as idéias não eram viáveis, que os inventos não teriam grande utilidade, e depois ambos sofreram uma grande evolução, pois foi necessária a adequação dos modelos, tanto do 14 bis, quanto do ENIAC (primeiro computador), para que pudessem ser produzidos em escala industrial. Antes deles não existia nada igual e é isso que os torna dois marcos importantes na história mundial.
Nada cai do céu, nem cairá, tudo o que queremos temos que ir buscar, sempre, e nunca parar, mesmo que o caminho seja duro, mesmo que nos chamem de loucos, mesmo que não coloquem fé em nossos planos, se é nosso sonho, nosso ideal, temos que lutar por ele e só parar quando for para desfrutar de nossas realizações.

Quem sou eu?

Meu nome é caroline Pereira, nasci no dia 31 de Março de 1987, na cidade de Alfredo Wagner – SC.

Cursei o ensino fundamental e médio na Escola de Educação Básica Silva Jardim, e depois fui para Lages, cursar o ensino superior na Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC), onde fiz o curso de Sistemas de Informação, para o futuro penso em fazer mestrado e posteriormente doutorado na área de web.

Gosto de tudo ligado a internet e computadores, e tenho um interesse especial pela tecnologia digital de fotos e vídeos (gosto de fazer edições, saber sobre efeitos de vídeo, softwares para esta área, etc). Tenho interesse por música, cinema e fotografia e uma paixão imensa por História (principalmente História do Brasil), adoro viajar, e tenho uma “vida virtual” intensa, pois tenho alguns blogs, comunidades e também parceria como webmaster em dois sites.

Agora estou trabalhando na sala de Informatizada da EEB. Silva Jardim, colégio pelo qual tenho grande carinho, pois vivi grande parte da minha vida lá.