terça-feira, janeiro 29, 2013

2012 - Florianópolis


Hugo me devia uma visita e como Alfredo Wagner não pode competir com todos os pontos turísticos do Rio apresentados por Hugo a mim, o destino escolhido foi Floripa, em uma viagem curtinha de apenas um final de semana, que aconteceu antes das férias de julho, já que eu teria aula na faculdade neste período.
Para completar a festa convidamos Aline e Paula que vieram de Porto Alegre e junto com o Hugo do Rio, veio Fernanda, Andreia e Eberson.
Ficamos no canto da Lagoa, um lugar lindooooooooo. Não é exagero, o lugar é muito bonito e sossegado.

29/06 – Fui pra Floripa, levar o João Marcelo ao oftalmologista, pois o bebe herdou “os pobrema” da irmã. Antes disso encontramos Hugo e a galera do Rio na rodoviária (ainda faltava as gurias, que sairiam de POA apenas às 18 horas).  Ps.: Eu saí de Alfredo e era inverno, cheguei na Capital e como que em um toc de mágica tinha voltamos a ser verão, resultado: EU NÃO TINHA ROUPA APROPRIADA PARA A ESTAÇÃO.
Fomos almoçar no mercado publico que tem lugares onde a comida é típica da ilha e uma delicia, o preço pode ser bem salgado, mas compensa se você quiser comer bem, após comer, conhecemos um pouco do Mercado publico, que apesar do pouco glamour e do odor vindo em alguns pontos das peixarias é um lugar encantador, que merece registros fotográficos. Depois levei J ao oftalmo e voltamos a nos encontrar na praça XV, de lá nos aproximamos da ponte Hercílio Luz para algumas fotos. Tivemos como presente um por do sol lindo, que pinto o céu de alaranjado e com a ponte ao fundo nos rendeu belas fotos. Depois disso encontramos Henrique, que foi apanhar João Marcelo que passaria o final de semana com ele em Floripa e então seguimos para a Lagoa, aliás, para o canto da Lagoa, ficamos no Hostel Backpakers Sharehouse, que fica na encosta de um morro, com uma vista belíssima para a praia.


Ao chegarmos tivemos uma pequena situação de desentendimento com o recepcionista que foi engraçadíssima, apesar de embaraçosa. Já ri muito disso, mas no dia bem ficamos em uma saia justa, por fim tudo se resolveu. Então apenas aguardamos a chegada delas, que ocorreu pouco antes da 1:30 da manhã, apesar do hostel ser um encanto, andar pela ruela que leva até ele na madrugada pode ser meio estranho, pois é cheia de “manos” suspeitérrimos, mas mesmo assim descemos para encontrar as gurias, Mila veio com elas também, conversamos, matamos a saudade, mas logo fomos dormir, pois tínhamos muito que aproveitar no outro dia.

30/06 – Logo cedo acordamos e fomos matear, há! Enquanto tomávamos café da manha com vista para o canal da barra, dando tchau para as lanchas que passavam pertinho da gente decidimos que iriamos conhecer o projeto Tamar. Fomos andando pela praia, tomando chimarrão. (Eu sempre achei engraçado ver os gaúchos com seus utensílios de chimarrão andando pela praia, mas como ninguém sabia que eu não era gaúcha eu andava com a cuia também.)
O Projeto Tamar tem como objetivo proteger as espécies de tartarugas marinhas ameaçadas de extinção. O nome Tamar é uma mistura das palavras tartaruga e marinha. Existem bases do projeto ao longo de toda a costa brasileira, visitando o parque além de estamos conhecendo um pouco mais sobre as tartarugas marinhas ainda estamos contribuindo com o projeto.

Dentro da sede do projeto que fica na Praia da Barra da Lagoa, tivemos inúmeras informações e pudemos ficar pertinho das tartarugas dos tanques, além de termos a presença de biólogos que esclareciam nossas duvidas sobre os animais. Não posso dizer que elas são lindas, assim no sentido amplo da palavra, mas são belos animais, além de velhonas, pois algumas tinham mais de 100 anos.
Lá tiramos muitas fotos, voltando a ser crianças, demos chimarrão para as tartarugas (alto lá você que é protetor dos animais, e já está pensando em nos denunciar, as tartarugas de mentira, estatuas... estas tomaram chimas) e fizemos um mega show no palco do Tamar. Foi lindo.


Saindo do projeto (sem comprar minha blusa, que me faria parecer uma paleontóloga) fomos almoçar. Desta vez no Meu Cantinho, um restaurante que ficava no caminho até o nosso hostel, novamente preço salgado mas comida deliciosa. Chegando ao Hostel nos preparamos para ir até a Joaquina. Como eu estava desprevenida, sem roupas de verão fui com a blusa do pijama da Aline, isso mesmo, com o pijama. Ninguém pode falar que percebeu antes de eu contar isso aqui, pois estaria descaradamente mentindo.
Fomos de ônibus até a Joaca, e levamos pranchas do hostel para surfarmos nas dunas. (Como gato escaldado tem medo de água fria e minha ultima experiência naquelas dunas não tinham sido das melhores (Floripa Turistica), resolvi desces desta vez apenas sentada). Ficamos horas lá nas Dunas, vendo os meninos descer e jogando conversa fora, Mila e Paula não estavam conosco neste momento, tinham ido até a casa da tia da Paula, que mora ali por perto. Depois fomos pelo meio das dunas até a praia, chegando fomos até as pedras que ficam do lado esquerdo, de lá assistimos ao por do sol. 
Perdemos o ultimo ônibus e então fomos comer para tentar nos consolar. Descobrimos que se andássemos uns 3 quilômetros (que mais pareciam uns 20) chegaríamos até uma vila, onde além de um mercado ainda existia alguns ônibus passando. No caminho até lá Aline e eu suspirávamos por Castle e Beckett, não víamos a hora da nova temporada iniciar. Nooooooooossa, delirávamos pelo beijo dado pelos dois no final da 4ª temporada. Chegando ao mercado o escondidinho da Paula foi por água abaixo, já que quando ela voltou da casa da madrinha e nos encontrou nas pedras elas não vieram sozinhas, o cachorro do irmão de Paula tinha as acompanhado e agora elas precisavam leva-lo de novo até em casa.


 No mercado compramos ingredientes para prepararmos nossa janta e também várias “Ixtelax”.
Chegando no hostel, Aline e eu assistimos muitos vídeos fofos de Castle enquanto Fernanda preparava uma janta deliciosa. Menu do dia “Strognoff”. Uma delicia, após a janta tomamos nossas “Ixtelax” e nos divertimos muito, curtindo a paisagem e o friozinho que noite trazia. Nesta noite descobri que sou muito, muito antiquada.



30/06 – Nem lembro de ter me despedido de Hugo e dos outros, eles foram cedinho, acordamos um pouco mais tarde, fechamos nossa conta e de carro fomos para a casa da madrinha da Paula. Almoçamos lá e depois fomos para a praia, ver o irmão dela surfar. Paula e eu, feito ginastas também mostramos nossos dotes atléticos na areia. Voltamos para casa, assistimos ao jogo e mais tarde, as gurias me deixaram na rodoviária, elas desceram para finalmente conhecerem o João Marcelo, que com toda sua simpatia mal deu oi a elas, morrendo de vergonha. Depois elas seguiram para Porto e eu voltei a Alfredo.


Eterna duvida: Porque aqueles casal de Ingleses não ia a praia? Ir viajar e ficar lendo na varanda? Não pode.
Outra coisa... E aquela guria que dormiu com o Australiano? Aff . uhahuahua

Carol Pereira

Um comentário:

  1. Tu tava com o pijama da Aline??? hahahahahahahahahahahahha. Ok, eu não sabia.

    ResponderExcluir