domingo, dezembro 30, 2012

2010 - Garopaba


Garopaba 2010 - Aconteceu em Garopaba, fica em Garopaba

A Rá não pode ir, seria um encontro MP, mas faltou ela.
Bom, faltou a Rá, mas não faltou animação, de forma alguma... foi uma das viagens em que mais ri na vida, mas nem podia esperar outra coisa, ao lado de minhas MP’s a diversão é certa sempre. Várias gírias surgiram nessa viagem, entre elas MLMC. Não posso nem lembrar da Vanessa com suas voz de M falando isso que começo a rir sozinha, porém a mais popular foi Cheira minha virilha. 

As fotos são medonhas e pra piorar elas estavam no desktop do quarto e minha mãe viu todas, e pior que isso assistiu aos vídeos. Muita vergonha para um corpo só, mas passou.
Então vamos, iniciar os serviço.

23/04 – Oftalmologista em Floripa, muita sorte. Peguei minhas lentes e de ônibus fui até Garopaba, viagem longa, caminho desconhecido, eu morrendo de medo de “passar do ponto”, mas cheguei bem, as gurias estavam me esperando na rodoviária. Foi nessa viagem que conheci o escondidinho da Paula e neste dia também recebi uma mensagem onde dizia que eu fazia muita falta no colégio, achei fofo. Onw! (gravem a data abril de 2010, apenas para constar).
Eu pra variar estava faminta, então fomos preparar o almoço, na verdade Paula o preparou, uma macarronada maravilhosa, enquanto ela preparava o almoço eu conferi as fotos de Vanessa na Europa, achei chique demais. Após o almoço mexi nos pauzinhos da Paula, sem sucesso, por incrível que possa parecer ela é melhor pra mexer em pauzinhos do que eu.
Colocamos a fofoca em dia e fomos jogar, não sei bem o nome do Jogo, mas quem perdia bebia, tinha várias regras... algumas eram padrão do jogo e outras poderiam ser criadas durante a brincadeira. Uma regra era que retirando determinada carta não podia ir ao banheiro durante uma rodada, tudo bem a principio, mas com o passar do tempo essa regra teria que ser quebrada imediatamente.  Sempre fui muito astuta pra jogos e foi só eu compreender a dinâmica do jogo que lasquei com todo mundo.
Criei algumas regras:
Minhas regras eram irrevogáveis;
Eu poderia ir no banheiro quantas vezes eu quisesse;
Todo mundo que errasse bebia e cada vez que alguém bebesse a Paula Tinha que beber 5 vezes e depois em outra regra tudo que a Paula bebesse a  Aline tinha que beber o dobro;
Resumindo, todas as regras faziam a Aline beber.
Pobre Anjo. Devo afirmar que não deve ter sido nenhum sacrifício para ela, mas a guriazinha bebeu todas. Os castigos do jogo também eram engraçados, mas não os revelarei neste texto, pois meu blog é um blog de família.
Eu perdi a novela (é eu era viciada na novela das seis, que na época era Escrito nas Estrelas, era tão boa, não é mesmo minha gente?) mas valeu a pena, nosso jogo durou até tarde, acho que quase umas 9 horas, neste tempo ligamos para Rá, lamentando sua ausência e falando muitas besteiras também, tadinha.
Eu e Paula tínhamos tratado que tomaríamos banho de mar, mesmo com o termômetro marcando 14 graus e chovendo, cumpriríamos nosso trato. Aline estava só no brilho e super se empolgou no banho de mar. Antes de sairmos tiramos uma foto, pedimos para Aline fazer uma pose sexy e o resultado, bem, o resultado não foi bem o esperado, mas mesmo assim acho uma ótima foto.

Péssima ideia foi ir descalço até a praia, mas superamos. Ao chegamos la, Paula, Aline e eu entramos no mar, belas e formosa. Enquanto eu e Paula fazíamos pose para fotos, Aline tonta era levada por uma onda. Quase a perdemos huahuauhahuauha mas eu fui ágil no resgate. A colocamos sentadinha em uma escada, para ver se ela melhorava. Ficamos mais um pouco por ali e depois a arrastamos para casa.

Chegamos em casa o estado de nossa amiguinha era lastimável, resolvemos dar um banho nela para coloca-la pra dormir. Devo afirmar que ela estava um pouco receosa e algumas vezes clamou por proteção, depois pediu auxilio para Vanessa, por fim dormiu. Um sono profundo.
Como boas boemias, bebemos mais um pouco, sem perder a classe. Colocamos o papo em dia, tiramos mais algumas fotos e cerca de uma duas horas depois, no meio de um vídeo que estávamos fazendo, eis que Aline volta ao mundo com um sonoro “Amorá” ! Pensamos que a pobrezinha estaria podre de ressaca, mas para nossa surpresa ela já pediu um copo de batida. Criamos um monstro. Conversamos mais um pouco e enquanto eu e Aline fomos dormir, Paula e Vanessa foram beber no telhado, isso mesmo, literalmente no telhado. Malucas.


24/04 – Ao acordar meu nome era ressaca, mas mesmo assim saímos para curtir o belo dia de praia que nos aguardava. Na verdade estava frio e chovendo, mas o dia na praia foi maravilhoso. Percorremos grande parte da extensão de areia, rimos muito e nossa fotos são dignas de capas de cds. Antes paramos em um bar e comemos algumas guloseimas, que nos deixavam muito bonitas, inclusive.
O dia estava bonito mesmo com temporal.  


Ao chegarmos em casa percebemos que não tínhamos todos os ingredientes para o escondidinho da Paula e de bicicleta fomos até o mercado. Cada um carrega a cruz que merece né? Eu levei a Aline. Até porque, apenas para constar, a pobrezinha não sabe andar de bicicleta, pois a tia Ana deu a bicicleta dela pra filha do Porteiro (to cansada de ouvir essa lamentação, isso até me lembra a Phoebe Buffay). Aliás, desta cena existe uma foto que rendeu horrores no Fake Tabloide com a Legenda "Carol Pereira faz participação no filme em que Aline Bernardes protagoniza como criança especial e conquista uma cidade inteira com seu coração. O filme Conquistando Garopaba sobre duas rodas estréia em todo o Brasil em Março"


Compramos os ingredientes e o além disso um vinho.
Me apaixonei pelo escondidinho, o melhor que já comi. Tem dias que sinto desejo de come-lo novamente, é muito triste pensar que não o tenho a todo momento perto de mim, sim, eu vivo um caso de amor com o escondidinho da Paula, talvez a convivência constante destruísse nossa relação, mas eu tentaria. =P
Após o delicioso jantar, algumas taças de vinho e muitas histórias pra contadas, Vanessa e Paula foram dormir. Eu e Aline roubamos alguns copos do Licor do pai da Paula (Paula Querida, você está lendo? Não nos odeie, foi bem pouquinho e foi mais forte que a gente huahuauha) e dublamos a Thalia. Isso mesmo que você leu. Dublamos a Thalia, com direito a Ruuuuuh no final e tudo.

25/04 – Almoçamos e seguimos para a rodoviária, foi nessa viagem que peguei o livro da Aline emprestado, aquele livro que tio Mauro sempre lembra. Ótimo livro pro sinal! =P. Despedidas são sempre tristes, ainda mais em viagens tão boas, e assim foi a nossa. As três seguiram para POA e eu pra Floripa.
As lembranças das risadas dadas nessa viagem sempre vão ficar em minha memória, ficamos basicamente em casa, sem fazer nada, mas valeu muito a pena. Sempre vale, quando estamos em ótima companhia. 



Carol Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário