sexta-feira, julho 13, 2012

Dias de Greve


Carol Pereira - EEB. Silva Jardim

Os professores que permanecem na luta merecem serem chamados de Heróis. Muitos ficaram pelo caminho, com as mais variadas justificativas: uns não tinham como se manter financeiramente com os descontos, outros sofreram pressão da sociedade ou da própria família e alguns deixaram o movimento, pois não acreditavam mais em um acerto que nos beneficiaria. 
Sinto-me orgulhosa por fazer parte dessa luta, por mim e meus colegas não termos vendido nossa dignidade e por permanecermos unidos. Pois acima de tudo amamos nossa profissão.
Já ouvi e me emocionei com o depoimento de diversos colegas, falando de como sofreram para fazer sua licenciatura, que sempre almejaram isso, que ser professor é a realização de um sonho. 
Comigo a história é diferente. Quando fui fazer o vestibular eu tinha três opções: Jornalismo, História e Informática. Descartei jornalismo, pois achava que não tinha muito jeito pra coisa. Pensava muito em fazer História, mas não queria ser professora de forma alguma, não queria isso justamente por ser filha de uma professora que sempre trabalhou muito para conseguir sustentar a família, muitas vezes ficando muito mais tempo com os filhos dos outros do que comigo e com meus irmãos. Então decidi fazer bacharelado em Sistemas de Informação. Terminei meus estudos e voltei para Alfredo...
Foi então que surgiu a oportunidade de trabalhar na Sala de Informática do Silva Jardim. Apesar de ter estudado quatro anos e meio e receber como alguém que saiu do ensino médio, eu passei a compreender a paixão que minha mãe sente pelo magistério. Por sorte ou um tremendo azar, na contramão de tudo, eu também me apaixonei por essa profissão e hoje, assim como meus bravos colegas, eu a defenderei com unhas e dentes.
Por isso mais uma vez ressalto a importância de permanecermos na luta, apoiando uns aos outros, esclarecendo a população, principalmente aos pais ou responsáveis pelos nossos alunos, a importância de nossa causa, bem como nossos motivos e objetivos. 
Vamos almejar um tempo, onde possamos contar a nossos alunos como lutar por nossos direitos e, efetivamente, construir um futuro melhor.

VEM VAMOS EMBORA, QUE ESPERAR NÃO É SABER, QUEM SABE FAZ A HORA, NÃO ESPERA ACONTECER.”

Carol Pereira

Um comentário:

  1. Verdade,Carol. Parabéns a você e a todos que mantiveram sua integridade intacta nesse movimento tão lindo que era nossa grande esperança. Assim como você, venho de uma família que que tem o magistério nas veias. Minha avó trabalhou toda a sua vida no interior da cidade de A.W. e talvez tenha sido a primeira professora a ir trabalhar de moto para a escola. Guardo lembranças inesquecíveis dos dias em que passava férias aí e ia à escola com minha avó. Minha admiração pela sua austeridade e doação no trato com os alunos me fez escolher ser professora também. Um abraço.

    ResponderExcluir