quarta-feira, abril 12, 2017

A IMPORTÂNCIA DO MORRO DO TROMBUDO NA HISTÓRIA DA REGIÃO




Limite entre os municípios de Alfredo Wagner e Bom Retiro, abriga vestígios do marco histórico - em madeira - assentado em 12 de abril de 1791. Descoberto em dezembro de 2007 por uma equipe comandada pelo pesquisador Altair Wagner fundador do Museu de Arqueologia de Lomba Alta  de Alfredo Wagner e também integrada por Dário Lins, fundador do Museu da Memória dos Imigrantes Alemães de Entrada de Bom Retiro, nesta data aconteceu a instalação do do marco geodésico.

O morro localiza-se a 1.306 metros de altitude, há sete quilômetros de Lomba Alta e a dez do centro da cidade de Bom Retiro;

História:

No final do século XVIII a Coroa Portuguesa ordenou que os Alferes Antônio Marques Arzão e Antônio José da Costa abrissem uma estrada que ligasse o litoral da Capitania de Santa Catarina até o planalto serrano da Capitania de São Paulo.

Antes de iniciarem os serviços – esses feitos às custas da Capitania de Santa Catarina – foram feitas algumas incursões afim de verificar o terreno, a presença de animais selvagens, bugres e tudo o mais que viessem a encontrar. Em 11 de Janeiro de 1787, Antônio José da Costa partiu em direção ao oeste. Em seu relatório declarou:

[...] dia 21 de março dirigi marcha para um morro, que faz a mesma figura da Ilha Redonda da barra do Rio de Janeiro, e me arranchei ao pé dele no dia 31; [...] dia 1º de abril, o dito Morro da Redonda que fica ao Noroeste da Serra Geral e distante dela um quarto de légua; e pode descobrir dali por ser bastante alto e não haver impedimento algum para seguir a entrada para a Vila de Lages (COELHO, 1856, p. 197-198).
 
O dito Morro da Redonda, é o Morro do Trombudo. Portanto, sua primeira nomenclatura foi dada em alusão a sua semelhança com a Ilha da Redonda, no Rio de Janeiro. Porém, em documentos oficiais do governador da Capitania de Santa Catarina e do Alferes Antônio Marques Arzão, encontra-se Morro do Trombudo. 

Durante os trabalhos para a abertura da Estrada de Lages, Antônio Marques Arzão se deparou com o imponente Morro da Redonda, agora, chamado de Trombudo. No cume do Morro, em 12 de abril de 1791, sob ordem do Governador da Capitania de Santa Catarina, o Alferes afixou um marco de madeira, delimitando assim, as Províncias de Santa Catarina e São Paulo. Ainda, ordenou a construção do Quartel Militar do Registro de Santo Antônio, nas proximidades do Morro. O Museu da Memória dos Imigrantes Alemães, em Bom Retiro, que fica nas proximidades do Morro do Trombudo, dispõem de uma cópia do documento escrito pelo Capitão.

Sabia-se da existência do marco, mas apenas no ano de 2008 ele foi reencontrado. No ano de 2008, foi realizada a instalação do marco geodésico, organizado em conjunto pelo Museu de Arqueologia de Lomba Alta e o Museu da Memória dos Imigrantes Alemães de Entrada. A equipe foi coordenada por Altair Wagner e Dario Lins.



ÍNTEGRA DO DOCUMENTO ESCRITO POR ARZÃO



O Morro do Trombudo está no exato divisor de águas que formam as bacias do Rio Uruguai e Itajaí-Açu.
Atualmente, tornou-se um importante ponto turístico de Bom Retiro, atraindo pessoas não só pela sua incrível beleza natural, mas também pelo seu apelo histórico.

REFERÊNCIAS

COELHO, M J. de A. Memória histórica da província de Santa Catarina. Desterro: Typ. de J. J. Lopes, 1856.

LINS, D. C de. Fé, Honra e Coragem de um povo. Bom Retiro, 2004.

Thiago Lins
Carol Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário