quarta-feira, janeiro 11, 2017

Deserto do Atacama - Dia 5 - Valle de la luna


Ainda no dia 5... Valle de La Luna

É um dos lugares mais visitados de San Pedro e se encontra a 17km do centro, em uma zona conhecida como “Codillera de la Sal”. É uma área muito interessante com formação de pedras e areia esculpidas por milênios de inundações e pela ação dos fortes ventos.
São cores e texturas únicas, no meio do deserto. Suas formas lembrar a superfície lunar e o local já foi até mesmo utilizado pela NASA para testar os veículos que realizam expedições na lua.
Declarado santuário da natureza por sua grande beleza natural e aparência peculiar lunar, a o que se deve seu nome, o local é visitado por milhares de cientistas e turistas todos os anos sendo assim um dos lugares mais conhecidos do Chile.


Logo que se chega já se espanta com a paisagem, diferente de tudo o que eu já havia visto. Parece mesmo que está se chegando a outro planeta. Na chegada já pegamos a trilha para uma das cavernas do local. A caverna provavelmente surgiu pela ação da água, e andar pelo meio daqueles imensos paredões dava um ar de aventura ao hiking.


A Anny que é uma de minhas companheiras de viagem, tem 75 anos de idade, isso mesmo, você não leu errado, ela tem 75 anos e fez TODOS os passeios, incluindo essa aventura no subterrâneo do Vale da Lua. Quando eu crescer quero ser igual a ela! O local exigia que andássemos de quatro, que realizássemos pequenas escaladas e ela fez tudo isso com um sorriso no rosto e tirando muitas fotos.
Saindo da caverna chegamos a um local alto de onde era possível contemplar boa parte do local. Passando por um Canyon incrível chegamos a outra caverna, que era um verdadeiro Oasis para os aventureiros, pois era um lugar super fresco e arejado.


Dentro dessa caverna onde reinava a paz realizamos uma meditação, em um processo de interação com o ambiente, reflexão e profunda harmonização.
Como o vale é formado por inúmeros minerais, entre eles muitos cristais. Muitas pessoas aproveitaram para recolher pequenas pedras como souvenires.
Subindo pelas dunas se chega até um mirante muito alto de onde é impossível não ficar boquiaberto diante de paisagem. De lá se vê o Amphi Theatre, que é um imenso paredão formado pela ação da crosta terrestre e ação do vento. O paredão parece uma escultura no meio do deserto. Passamos também pelas Três Marias que ficam no meio de uma parte do deserto com a presença de muito sal.
Seguimos a dica de assistir a um pôr do Sol lá de cima, próximo a Pedra do Coite e valeu a pena a experiência. Foi um espetáculo,  repleto de cores, luz e paz!

Para chegar até lá passamos pela cordilheira de Sal, que impressiona pelo formato de pequenas montanhas que se assemelham a pirâmides ou vistas de longe, a uma pequena civilização.
Ficou faltando a visita ao Vale de la Muerte.
O Vale  de La Muerte, segundo nosso guia da cavalgada – aquele, o Tukarai – era chamado pelos primeiro habitante como Vale de Marte, devido a visão que se podia ter desse planeta lá de cima, mas como os americanos tinham dificuldade para entender e falar “Marte” começaram a pronunciar algo parecido com Muerte e o nome se disseminou.
Foi um dia cheio, mas repleto de aventura e emoção! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário