sexta-feira, junho 17, 2016

Travessia Campo dos Padres

Travessia Campo dos Padres - Feriado de Pascoa  
A linha amarela representa o caminho que percorremos

Trekking de 4 dias onde percorremos 54km, passando por cânions e planaltos do Campo dos Padres, na serra geral, saímos do Vale do Rio Canoas em Urubici e fomos até a Pedra Branca em Alfredo Wagner!
O Campo dos Padres está situado em um grande planalto de altitude nos altos da Serra Geral ao Sul de Santa Catarina entre a Pedra Branca em Alfredo Wagner, e a serra do Corvo Branco em Urubici.
Há diversos acessos para os Campos dos Padres, sendo que esta travessia é apenas uma das diversas opções que a região oferece aos trekkeiros, montanhistas e aventureiros.
A região não pertence a nenhuma unidade de Conservação e desta forma a caminhada se desenvolve em propriedades particulares, as quais vivem da pecuária.  É no campo dos Padres que estão as nascentes dos rios Canoas e Tubarão.
Participaram desta aventura: Renan Schuller, Vanessa Franz, Guilherme Grah, Gabriel Onofre, Luan Beerli, Patricia Feliciano, Rafael Eyng e Flávio Fraga.

Da esq. para dir.:  Gui, Paty, Fly, Berli, Nessa, Bozo, Renan e Loco !

Dia 1 - 02 de abril de 2016

           Saímos de Alfredo Wagner na quinta feira as 4:00AM numa van com a galera de Ituporanga, seguimos em direção a pedra branca com mais um carro até ponto final da trilha onde chegaríamos 4 dias depois. Conversamos com o proprietário do terreno  antecipadamente para deixar um carro lá, este seria nosso resgate no final da trilha.
Em seguida todos estavam na van com as mochilas super carregadas com os equipamentos e muita comida para 4 dias de travessia,  finalmente prontos para esta tão sonhada aventura! Estava apenas começando...!
Todos estavam animados e empolgados para começar a caminhada, seguimos então para Urubici e enquanto descíamos a serra do panelão acontecia um maravilhoso nascer do sol!
         Seguimos em direção a serra do corvo branco, rumo ao Rio Canoas, um rio calmo com águas cristalinas e geladas. Nosso destino era o Refúgio Rio Canoas.
Antes de começar a caminhada nos alongamos com a Saudação ao Sol (Yoga). Fizemos os últimos ajustes nas mochilas e partimos para nossa jornada, a missão daquele dia era subir toda a serra do espraiado num ritmo lento, para não cansar muito pois estávamos com as mochilas muito pesadas, uma das mais pesadas, do Flávio passava dos 27kg!!
           Por volta das 8 da manhã estávamos começando a caminhar, seguindo ao lado do Rio Canoas, avistamos a grandiosa Pedra da Águia, atravessamos pequenos rios em algumas partes, começamos a subir o morro, até que fizemos nossa primeira parada em frente a RPPN Leão da Montanha a qual possuí um projeto de pesquisa do conhecido puma (Leão baio). Lá aproveitamos pra fazer nosso primeiro café da manhã.

Pedra da Águia, inicio da subida ao espraiado.

Depois de um longo trecho de subida,  aos poucos nós visualizamos a imensidão dos campos, com seus vales, plantas tipicas de altitude, os ventos gelados e sol forte, estávamos chegando ao imponente cânion do espraiado. Chegando na bifurcação, seguimos pela esquerda, sempre no sentido norte, rumo a Alfredo Wagner. Fomos adiante seguindo o tracklog que estava no GPS. Depois de subir toda a serra, ainda caminhamos mais 7km pelos campos relativamente planos, passamos uma manada de  búfalos, descemos um vale e montamos acampamento por volta das 16:00, já bem cansados pelo dia de subida.

Final do primeiro dia, acampamento montado, só curtir o resto do dia!


Nosso acampamento foi próximo ao rio, da qual poderíamos beber, tomar banho e cozinhar nossos alimentos
Montamos nossas barracas, acomodamos nossas mochilas, preparamos a fogueira.  
Um bom vinho para acompanhar essa esplêndida noite, com nossos amigos aventureiros em algum lugar inóspito nos do Campo dos Padres, cantamos, conversamos, compartilhamos nossas comidas e fomos dormir, pois o outro dia tínhamos que acordar cedo, desmontar o acampamento e continuar a caminhada, rumo ao morro dos 50, próximo de  Anitápolis.
As condições do tempo para a caminhada estavam perfeitas, uma frente fria limpou as nuvens e abaixou a temperatura, nenhuma nuvem tapava as montanhas, estávamos no lugar certo, no dia certo!

Ao lado do nosso camping estava esta linda cachoeira, aproveitamos para um banho gelado e rejuvenescedor!


Dia 2 - 03 de abril de 2015

Acordamos cedo, mas como estávamos em um vale o sol demorou um pouco a aparece para que sequem as barracas molhadas pelo orvalho da noite.
Tomamos nosso café da manha e já fomos guardando todo o equipamento.
Lá pelas 9:30 finalmente secaram as barracas, colocamos tudo no mochilão e seguimos nosso caminho, o objetivo era caminhar no minimo 15km. Mais umas longa pernada  passando por campos muito bonitos e também próximo a um cemitério antigo, o dia estava simplesmente lindo para caminhar na montanha! Este dia foi muito bom, por volta das 14hrs nós chegamos ao melhor local para banho de todo o campo dos padres! Estava calor, céu azul, sol a pino,  dar um mergulho foi a melhor ideia, a água estava muito gelada mas mesmo assim ficamos bastante tempo, pois a sensação era muito boa! saímos de lá revigorados!

Próximo ao rio canoas, tomamos banho ali próximo a taipa

Nesse dia a maior parte do trajeto foi sobre os campos de altitude, pisando sobre turfas encharcadas que fazia-nos cansar muito por ter a sensação de pisarmos em esponjas, tornando os pés pesados, foi um dia bastante puxado até o próximo acampamento que seria ao lado do morro dos 50.

Taipas próximas as nascentes do rio canoas.

Quando chegamos lá, encontramos um casal de amigos acampados ao lado do Morro dos 50, era o Lucas e a Juliana, o casal astral!
Estávamos bem próximos aos enormes penhascos típicos da serra geral, bem de frente para Anitápolis. Nos reunimos e montamos nossas barracas, exploramos um poucos os arredores, fizemos fotos daquele céu maravilhoso, um pôr do sol magnifico estava para acontecer!

Acampamento 2 - Anitápolis

Enquanto acontecia o por do sol a oeste, a lua nascia a leste, todo o esforço da caminhada valeu a pena naquele momento! Antes do sol se pôr já conversávamos sobre o desafio do dia seguinte, que já se encontrava próximo, o local mais alto de SC,o Morro do Boa Vista!
Nosso acampamento estava a cerca de 1.600mts de altitude, isso tornava o espetáculo do nascer e pôr do sol muito mais bonito, então já combinamos de acordar antes das 5:30am.

Pôr do Sol e nascer da Lua

Conversamos na roda de amigos enquanto tomávamos um vinho ao redor da fogueira naquela noite especial, demos muitas risadas e cada um fez o seu jantar, neste dia ficamos acordados até quase meia noite até começar a ventar bastante, hora de ir para a barraca porque o frio estava cortante!  
A noite os nossos vizinhos passaram perrengue, a barraca do Berli quase não aguentou aquele vento que soprava no sentido do penhasco. Ventos fortes são normais nesta altitude e temos que estar preparados, por sorte a barraca não saiu do lugar!

Vista para o Morro dos 50

Para passar vários dias na natureza com conforto é necessário ter bons equipamentos, que sejam resistentes ao clima extremo da montanha tais como:  Barracas apropriadas,  mochila cargueira leve e confortável,  sistema de roupas em camadas,  botas específicas para trekking,  saco de dormir para frio, Isolante térmico, lanterna de cabeça são os principais. Nesse clima eles fazem a diferença entre uma noite tranquila e uma noite mal dormida, e isso reflete no seu desempenho e disposição para a pratica de caminhada durante o dia.

Acampamento a 1.600 metros de altitude

Brincando com a Lua

Dia 3 - 04 de abril de 2015

O mais belo nascer do sol!

Acordamos antes do nascer do sol, estava muito frio porém nossa coragem para ver o espetáculo sempre é maior, uma vista que não existe em qualquer lugar, aquelas cores se intensificam a cada minuto, no céu passam centenas de tons laranjas e avermelhados.
Nada melhor que depois de uma noite fria sentir os primeiros raios de sol iluminar e aquecer sua pele, é uma sensação de renovação e conexão com a natureza muito gostosa.
Segundo acampamento finalizando e nós já estávamos bem mais rápido para montar e desmontar tudo, organizar os itens no mochilão, pegamos prática no caminho, a caminhada já não estava tão difícil como no inicio, pelo contrário era algo muito prazeroso caminhar com aquele visual, o cansaço já nem sentíamos mais!

Nada como sentir a energia do Sol te aquecendo depois de uma noite fria

Bom dia SOL!

          O destino de hoje é o ponto mais alto de SC, o imponente Morro da Boa Vista com seus 1827mts de altitude, teríamos bastante subidas pela frente.        
Desmontamos acampamentos, tomamos o café da manhã reforçado, organizamos as mochilas e partimos para mais uma caminhada.
Organizar a mochila: o que no começo levava mais de 40 minutos hoje fizemos em apenas 10 minutos!
No caminho até o boa vista passamos por um riacho e cruzamos uma parte com charque bem úmido, começamos o dia já com os pés molhados.
Chegando no alto do boa vista todos cansados e estarroados no chão, felizes da vida por essa conquista, a visão era de 360, de lá conseguíamos observar vários pontos conhecidos como o morro da igreja em Urubici(radar), o parque eólico de Bom jardim da Serra, as piramides em Orleans.

No alto do Boa Vista, a vista era muito ampla de toda a serra geral.

Marco no ponto mais alto de Santa Catarina

Panorâmica no Boa Vista

O sol estava muito forte neste dia, levar bastante proteção para o sol foi muito importante!
Após aproveitar muito o visual lá de cima partimos para nossa jornada rumo a Bom Retiro e depois Alfredo Wagner, nosso objetivo neste dia era chegar até o monte lajeado!

 
É pra lá que vamos: Morro da bela vista do Guizoni.
No caminho, após passar o morro do chapéu ( também conhecido por Boa Vista do Guizoni) avistamos uma fazenda que parecia abandonada, e de repente de lá vimos que seguia um trator cortando os pastos, estava indo sentido a uma nova antena que instalaram lá em cima, parecem que querem trazer torres de energia eólica para estes campos. Fizemos nosso almoço ao lado deste rancho, achamos uma fonte de água próxima dele.
Depois continuamos rumo ao norte, já víamos que logo teríamos que seguir por dentro da mata, foi preciso abrir a trilha com o facão, Renan e Gui foram na frente abrindo a trilha, seguíamos pelo caminho de forma lenta, olhei o relógio já estava quase anoitecendo, não conseguiríamos vencer essa parte antes de escurecer, decidimos voltar para montar o acampamento num local mais aberto e seco, no outro dia iriamos acordar cedo para voltar a fazer a trilha, estávamos já todos cansados, o local para acampar desta vez não foi dos melhores, não tínhamos nenhuma fonte de água próxima e o campo era ruim para montar as barracas não foi muito confortável, mas era a única opção naquele momento.De lá já conseguíamos observar o Soldados Sebold bem a baixo do penhasco, estávamos próximos!

Dia 4 - 05 de abril de 2015 - Pascoa

Acordamos 7 horas arrumamos nossos equipamentos e sem muitas demoras continuamos nosso caminho. Estávamos para encarar o dia mais cansativo da caminhada.

Local do último acampamento, o tempo está mudando…

Mais um tanto pra abrir a trilha com o facão então tínhamos que ter paciência. Logo após sairmos da trilha fechada, mais uma pernada pelos campos de altitude, nas turfas gigantes.  

Algumas horas abrindo a trilha totalmente fechada pela vegetação

Nesse último dia o tempo estava virando, por sorte eram os últimos km da caminhada, apressamos o passo para terminar a trilha rapidamente e fujir da tempestade.
Não havia neblina no caminho, mas por volta do meio dia começou uma chuva fraca, neste dia não paramos para almoço, apenas um lanche rápido e a caminhada continua!

Próximo ao monte Lageado, quase chegando a Alfredo Wagner!

Finalmente chegamos na trilha conhecida da pedra branca, a tempestade já está quase em cima da gente, sentíamos os trovões vibrar a terra, estar no campo dos padres numa tempestade não é nada bom! Apressamos o passo para chegar logo na parte onde desceríamos a trilha da pedra branca, ali estaríamos a salvos!

Rumo a Pedra Branca

Um dos vales com visão para os soldados

Nesse dia andamos um pouco mais que os outros, foram 17 km de trilha, com atoledos, turfas, trilha de boi por dentro de mata.
Chegamos por volta das 16 horas de domingo, exaustos, mas com um sentimento de felicidade enorme, por ter completado com sucesso este desafio, tudo saiu como planejado, a travessia do campo dos padres foi um sucesso, uma baita experiencia para todos os participantes!

Não deixe de assistir ao vídeo desta travessia:




Relato e Fotos:
Renan Schuller
Vanessa Laura Franz

9 comentários:

  1. Olá Carol, tudo bem? Excelente relato e muito obrigado por compartilhar essa experiência incrível!!

    Essa travessia exige o acompanhamento de guias? Precisa de alguma autorização?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dependendo, do sua experiência... e do tempo melhor época é "inverno", (bom tempo) Quanto a autoriz. você passa por fazendas...

      Excluir
  2. Pra lidar com a Turfeiras só aquela botinha de neve da decathlon, super indico.

    ResponderExcluir
  3. Uma mísera correção, o ponto mais elevado de SC, chama-se Bela Vista do Guizoni, com altitude entre 1823.49 ou 1823.59 m. O Mo. do Chapéu, não é o suposto Bela Vista do Guizoni. Lambanças do IBGE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ponto mais alto é o Boa Vista. O Morro do chapéu, tb conhecido como bela vista do ghizoni é o terceiro mais alto do estado.

      Excluir
  4. Olá Carol!!!! Adorei seu relato. Tenho muita curiosidade nessa região e gostaria de saber se vc tem o tracklog dessa travessia que pudesse disponibilizar. Desde ja obrigada!!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    seria possível compartilhar o tracklog do caminho que fizeram?
    Estou indo no fim do mês para lá.
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Olá Carol parabéns pela bela Trip, quero saber se vc tem o tracklog para o garmin, estou indo fazer o Canion das Laranjeiras até o mirante do Rio do Rastro e quem sabe já planejar para esta temporada esta travessia também.
    Desde já agradeço.

    ResponderExcluir