terça-feira, novembro 11, 2014

Viagem de Estudo - Grutas de Botuverá - Documentários



Texto professor Reginaldo
Contextualização viagem às Grutas de Botuverá.

Botuverá é um município do estado de Santa Catarina, está localizado no médio Vale do Itajaí, tem como alguns de seus municípios limites os municípios Indaial, Blumenau, Vidal Ramos e Brusque do qual conquistou emancipação política em 09 de junho de 1962.
Este pequeno município foi colonizado por imigrantes italianos principalmente da região de Bergamo.
A área total do município se apresenta da seguinte forma: 18,2% planícies, 50% encostas e 31,8% de montanhas*. A malha viária do município está numa altitude de 85m. As áreas planas ou menos acidentadas, nas quais se pratica a agropecuária, estão localizadas ao longo dos vales por onde correm o Rio Itajaí-Mirim (afluente do rio Itajaí) e seus afluentes.
A localização do município de Botuverá determina um clima de características mesotérmicas, úmido com verões quentes e invernos frios, temperatura média de 20ºC e com precipitações anuais em torno de 1.800mm, muito em decorrência da grande umidade vinda do oceano.
Botuverá é caracterizado por verdes matas que representaram muitos anos a maior fonte de riquezas naturais com a extração da lenha e madeira de lei. A extração da madeira nativa pelas madeireiras do Município e Região na década de 80 trouxe como consequência um desmatamento muito significativo. Atualmente nestes locais mais acidentados, cresceu uma nova vegetação, muito densa, denominada capoeira (estagio de regeneração) que está sendo substituída gradativamente pelo reflorestamento com eucaliptos ou pinus (plantio de exóticas).
As poucas madeireiras ainda em atividade no município buscam sua matéria prima, principalmente o pinus em outros municípios.
É importante ressaltar que o Município possui cobertura vegetal em 70% (setenta por cento) do total da sua área geográfica. Neste local a biodiversidade é muito grande em função da caracterização da Mata Atlântica.
Botuverá é conhecida nacionalmente por suas grutas milenares e gigantescas que são abertas para visitação sempre acompanhadas de guias autorizados.
Além das grutas, Botuverá é reconhecida pela mineração de calcário dolomítico e calcítico, utilizado principalmente como corretivo de solo (calagem). Há ainda a mineração também de britas e cerâmicas para construção civil.

Parque das Grutas de Botuverá
As Grutas de Botuverá ficam na localidade de Ourinho, a 15 km do Centro de Botuverá. Estão entre as maiores do país.
 Possuem, aproximadamente, 580 metros de extensão e têm entre 20m e 50m de altura, são compostas por vários espeleotemas (nome genérico de todas as formações rochosas que ocorrem tipicamente no interior de cavernas como resultado da sedimentação e cristalização de minerais dissolvidos na água, ou seja, são esculturas feitas pela água), tais como: cortinas, couves-flor, fendas, estalactites, estalagmites, paredões rendados e passagens distribuídas em labirintos e salões. Constitui um conjunto inigualável e eternizado por pingos de água que gotejam continuamente do teto há centenas e milhares de anos.
A diversidade biológica nesta gruta é considerada alta para uma cavidade sem curso d’água, pois foram registradas 7 espécies de morcegos e mais 35 espécies de invertebrados entre os quais 6 espécies são endêmicas.
A cavidade foi formada pela dissolução de rochas carboníferas do período Pré-cambriano, há pelo menos, 65 milhões de anos, embora alguns pesquisadores afirmam que tenha mais de 300 milhões de anos e caracteriza-se por possuir galerias e amplos salões ornamentados, como já mencionado
Em virtude de sua beleza e porte, é considerada a maior e mais ornamentada gruta do Sul do Brasil.
Atualmente algumas áreas da gruta estão restritas, tendo em vista a determinação do Plano de Manejo do Parque, com a finalidade única e exclusiva de não prejudicar as formações e a diversidade biológica.

Curiosidade: Apenas 10 cavernas brasileiras possuem um número tão expressivo de troglóbios (espécies de vida restrita às cavernas).

Botuverá recebe milhares de turistas no verão, atraídos pelas belíssimas Cascatas Venzon, de águas frias e cristalinas. A Reserva Biológica Estadual de Canela Preta, que abriga, em seus 1.884ha, animais como o tucano-do-bico-vermelho, veados e araponguinhas, o Recanto Feliz, entre outros. 

Mais conhecimentos acesse:

Atividades:
Procure fazer perguntas ao guia e durante a passagem pela cidade.
1.       Por que o nome Botuverá?
2.       Que povos colonizaram, de onde vieram, por quê?
3.       Procure saber qual o por que, a culinária/gastronomia da festa bergamasca. Quando acontece (mês), por que esse nome?
4.       Quais as atividades econômicas? (principal, atuais e antigas).
5.       Não se questiona que as grutas tornem Botuverá reconhecida. Porém, além das Grutas o que mais Botuverá tem a oferecer, em especial?
6.       A mineração gera impostos? A quem pertence?
7.       A quem pertence o Parque das Grutas? Quem administra?
8.       Dê a diferença entre caverna e gruta.
9.       Qual a função da espeleologia?
10.    Existe hoje preocupação com o ambiente espeleolitico? Se houver, sempre Houve? Cite um fragmento do texto que demonstra essa preocupação, se houver.
11.    Procure saber se há proteção da Floresta Atlântica?
12.    Que impactos estes ambientes sofreram ou ainda sofrem considerando o homem como agente integrante e modificador.
13.    Pergunte sobre Biodiversidade local (clima, vegetação, relevo, hidrografia, chuvas, temperatura, fauna, etc.) OBS: com base nas suas respostas faça a interrelação.
14.    Existem animais ou plantas endêmicas? (na Gruta, arredores e munícipio). OBS: Planta endêmica é a que só existe ali.
15.    Outras perguntas que achar relevante.
OBS: Colha o máximo de informações que conseguir

Outras informações nos vídeos a seguir.




Confira alguns dos documentários criados em anos anteriores pelos alunos do Ensino Médio Inovador em viagens para a Serra Geral e para a cidade e São Francisco do Sul.

Documentários Serra Geral:






Documentários São Francisco do Sul:




Nenhum comentário:

Postar um comentário