quinta-feira, setembro 25, 2014

2014 - Rio de Janeiro

10 vezes o Rio de Janeiro

São poucas as cidades que você consegue visitar 10 vezes e ainda encontrar novidades e o Rio de Janeiro é uma delas. Minha décima viagem para o Rio foi marcada pela grande aventura de saltar de parapente da Pedra Bonita.
Eu estava voltando do mestrado no Uruguay e aproveitei uma promoção e as férias escolares para visitar a cidade e alguns de meus grandes amigos. A viagem de Montevideo até o Rio é super tranquila – isso depois de eu ter ficado uma eternidade no aeroporto, gastando dinheiro no free shop e lutando contra o sono, com medo de dormir e ser saqueada. Chegando no Rio encontrei a Denise no aeroporto e ela me fez companhia até o Hugo chegar.
Ficamos esperando por um ônibus para ir até Icaí – ideia que eu tentei tirar da cabeça do Hugo veementemente, mas não consegui e assim economizamos o dinheiro do táxi.
Um detalhe interessante dessa viagem é que pela primeira vez em minha vida passei frio no Rio de Janeiro.

Sábado Cultural

No sábado encontramos Raíssa para almoçar, em Icaí. Após colocar o papo em dia no restaurante, fomos até o Starbuck – Tara sqn – e de lá seguimos até o Rio, para ver a exposição do Salvador Dali, que estava no CBB, mas a fila estava gigantesca, então o jeito foi mudar o programa e ir até o MAR, que eu ainda não conhecia.
O Museu de Arte do Rio – MAR - uma das âncoras culturais do Porto Maravilha, é um espaço dedicado à arte e à cultura visual. Inaugurado na comemoração dos 448 anos do Rio de Janeiro, dia 1º de março de 2013, tem 15 mil metros quadrados de construção e oito grandes salas de exposição, duas para cada mostra.
Os dois prédios que compõe o complexo passaram por muitas obras. O Palacete Dom João VI, inaugurado em 1916 e tombado pelo município em 2010, foi submetido a um longo e meticuloso processo de restauro para se transformar no pavilhão de exposições do MAR. Um dos maiores desafios da equipe da obra foi unir dois edifícios tão diferentes. A harmonia entre os imóveis foi possibilitada pela cobertura fluida que lembra ondas do mar, uma das características mais marcantes na arquitetura do complexo.
A visitação é feita de cima para baixo. Os visitantes sobem até o último andar da Escola do Olhar, onde há um terraço com vista para a Região Portuária. De lá, têm acesso aos pavilhões com as mostras do museu. O último andar é dedicado ao Rio de Janeiro e tem sempre exposições dedicadas ao tema. Os outros três pavilhões trazem exposições com temáticas variadas que duram aproximadamente três meses cada. Na ocasião vistamos duas exposições, uma com o tema “Tatu: Futebol, Adversidade e Cultura da Caatinga”, ” Do Valongo à Favela: imaginário e periferia”.
Após sairmos do museu fomos dar uma volta pelo centro do Rio para ir até o Cais do Valongo - que foi substituído pelo Cais da Imperatriz no século XIX, uma tentativa de apagar o antigo porto da história nacional. Pelo Cais passaram cerca de um milhão de africanos, segundo historiadores, antes dele ser escondido para receber a futura imperatriz, Tereza Cristina, que chegaria ao Brasil para o casamento com D. Pedro II em 1843. O Valongo foi encontrado em escavações feitas, durante as obras de revitalização da Zona Portuária do Rio de Janeiro.
Depois ainda encontramos a Re e a carregamos para Nikiti, para um chop e outback!




Domingo de chuva no Rio

Aproveitamos o clima para passar à tarde em casa, assistindo Beleza Americana e Friends! =)
A noite fomos jantar em um restaurante italiano – sonho do Hugo. Adorei a comida e a iluminação – sqn – tenho que anotar o endereço e –não – voltar lá – nunca.
Depois fomos fechar a noite com alguns chops e muito papo.

Segunda

Nossa segunda estava reservada para conhecer o Maracanã – ainda não conhecia. Eu e Rá dessa vez estávamos acompanhadas por Iago e Renata. Ao chegarmos, nos deparamos com o portão fechado e fomos avisados que a visitação naquele dia aconteceria apenas para a imprensa, enquanto conversávamos alegando que no site não dizia nada percebemos que algumas pessoas que não eram da imprensa faziam escândalo e conseguiam entrar, então resolvemos aguardar uma pouco. O segurança – medonho – começou a me chamar de “paixão”, em uma situação normal eu faria minha cara de Carol Nojenta, viraria de costas e não daria bola, mas resolvi ser simpática para ver se isso ajudaria a gente a entrar. Foi então que apareceram alguns “chilenos com as costas quentes” que conseguiriam entrar. Na maior cara de pau - e sem a Renata ter que gastar seu carioquês chingando Deus e o mundo - conseguimos entrar, o nosso amigo segurança fez vista grossa e acreditem ENTRAMOS DE GRAÇA NA VISITAÇÃO VIP!
Foi maneiríssimo! Tínhamos guia especial e acesso a áreas restritas!
Vale muito a pena a visita, ainda mais para quem é apaixonado por futebol!
A noite fomos para o shopping, jantar e encontrar com André!



Terça de história

A terça foi do jeito que eu gosto, cheia de história – inclusive tenho que agradecer a Raíssa, sei que esse tipo de passeio não é tão estimulante para ela quanto é para mim, mas mesmo assim ela me acompanha e sempre é uma ótima companhia.
Dica: Se você for Museu Histórico Nacional, alugue os fones de ouvido, pois é como ter um guia particular e a visita se torna ainda mais interessante. O MHN foi criado em 1922, é um dos mais importantes museus do Brasil, reunindo um acervo de mais de 348.515 itens, entre os quais a maior coleção de numismática da América Latina.
O conjunto arquitetônico que abriga o Museu desenvolveu-se a partir do Forte de Santiago, na Ponta do Calabouço, um dos pontos estratégicos para a defesa da cidade do Rio de Janeiro.
O Museu é imenso! Da pra passar um dia lá dentro... além disso do lado de fora ainda tem uma exposição de canhões e outras armas. Me espanto muito por nunca nem sequer ter ouvido falar dele. E fica pertinho, apenas a algumas quadras da praça XV.
Depois do Museu fomos até o Arco do Teles e nos sentimos gente grande, sentando em uma daquelas mesinhas, pedindo uma cerveja e apreciando um show ao vivo que estava acontecendo. Cantaram até “Eu tive um sonho” – e a moça praticamente riu da minha cara, devido ao escândalo que fiz quando percebi que era essa a música.




Quarta nas alturas

Eu sempre tive o sonho de saltar de asa-delta ou de parapente, já há uns 3 anos que eu ia para o Rio e combinava o salto com o Tiago, mas bastava fazer isso para o tempo fechar e as chances de saltar desaparecerem, mas dessa vez deu certo.
Combinei com Tiago e cedinho eu e Rá fomos encontra-lo no Fashion Mall e de lá subimos de carro até o alto da Pedra Bonita - nem deu tempo de desistir. Confesso que tive mais medo do que pensei que teria, parecia impossível eu me jogar daquele barranco – como diria minha vó.
O salto é super simples, não tem segredo nenhum – é claro, quando se faz com alguém que já faz isso a tempo – basta encontrar coragem e se jogar. Certamente é uma experiência única, ver o Rio lá de cima é simplesmente um máximo. Realmente de todos os ângulos a cidade é maravilhosa, o verde das matas em contraste com o azul do céu e do mar, aquela paz, nossa foi demais.
Se vocês quiseres podem conferir o vídeo, editado por Tiago, que sintetiza bem a experiência.



Depois teve também a experiência do pseudo beijoqueiro, mas essa não vou detalhar aqui. =P
Voltamos para Niterói e fomos compar materiais para a Rá. A noite fomos para o Arco de Telles desfrutar da boemia carioca, lá entre muitas conversas – algumas dela de nerds – descobrimos que temos mais uma coisa em comum, o amor por x-men! Passamos um bocado de tempo falando sobre os mutantes e no eu e Hugo marcamos de assistir o último filme lançado no dia seguinte.
Voltamos para Niteroi de barca, mas não sem antes rir muito na estação. Gastamos até nosso espanhol... depois voltamos para Nikiti de Titanic, com direito a cena na proa e tudo mais!

Quinta de quinta!

A Rá voltou pra BQ, eu fiquei em casa com o Iago – assistindo a viagem e constatando que eu ainda tenho medo do Alexandre – esperando o Hugo vir do trabalho pra eu ir pra casa dele.
A noite fomos ao Sushi e depois assistimos “Dias de um passado esquecido”.
Na sexta vim pra casa, depois de quase 30 dias fora!

Sim, já sonho com minha próxima viagem ao Rio! <3 o:p="">

Nenhum comentário:

Postar um comentário