segunda-feira, janeiro 27, 2014

Diário de Bordo UY - 24, 25 e 26\01

Querido Diário...
=p
Semana passada foi uma semana muito tumultuada, as aulas não foram tão boas quanto as da primeira semana, não tivemos dificuldades mas como não apresentavam muitas coisas novas, eu tinha que lutar contra o sono todo dia - foi um período difícil onde o espanhol me parecia canção de ninar. 
Meu olho foi melhorando e já não dá nem de perceber que tive aquela hemorragia.
Na semana passada fui da cama pra universidade e da universidade para a cama, não fiz nada de diferente, a não ser ir um dia até o Parque Rodó, sozinha e a pé. Fiz as contas no google mapas e andei cerca de 8,5 km, até corri pela rambla, o que de certa forma me deixou mais aliviada e até menos cansada.
Na sexta feira marcamos de sair à noite – com a turma do mestrado. Marcamos no El Pony pisador e como tínhamos aula no sábado pela manhã sabíamos que não poderíamos demorar muito. Marcamos as 9 e assim que ficamos prontos descemos, o pessoal começou a chegar e a diversão começou.
Vieram a principio, o pessoal da nossa sala e como alguns não entram em bares, nos revezamos para fazer companhia a eles na rua. Eu busquei um cobertor para eles se cobrirem nas mesas da rua, pois aquele dia especialmente, fazia muito frio aqui na cidade velha - que nesta parte em que estamos lembra muito a Lapa. Lá dentro encontramos com o pessoal da Bahia, que são da outra turma e depois de mais um pouco de tempo chegaram os que estavam na despedida de um colega. Metade do Pony era da turma do mestrado.
Tenho que comentar aqui que o vocalista da banda disse que eu me parecia muito com Nicole Kidman – deficiente visual ou não, admito que gostei daquele senhor huahuauha.
A primeira parte do show era de músicas brasileiras, depois rumba e quando o DJ entrou começou a tocar um misto de Salsa, Rumba, reggaetón e até É o Tchan. Dançamos muito e foi muito engraçado, pois estava muito cheio e com exceção de uns dois ou três, ninguém sabe dançar salsa ou qualquer um desses ritmos. Já temos nossa música preferida no estilo Reggaetón, que se chama Sentimiento e quando toca – ninguém fica parado – é o auge.
Como teríamos aula no sábado de manhã eu parei no primeiro caneco de Chopp, mas mesmo assim acabei indo dormir muito tarde e a aula com o general no outro dia pela manhã foi tensa, mas como toda a sala estava ou com ressaca ou com muito sono, estávamos todos no mesmo barco.
Sábado depois da aula todos fomos dormir, para recuperarmos as energias para o carnaval.
A noite nos encontramos para assistirmos juntos a abertura do desfile - que já havia sido adiada duas vezes devido a chuva. Sem dúvidas sábado à noite foi a noite mais divertida que passamos aqui em Montevideo. Minhas impressões sobre o carnaval daqui merecem um post a parte, mas vou contar um pouco de nossa noitada. (Se quiser saber mais sobre o carnaval acesse o link)
Nos encontramos em frente à praça do tango – como chamamos carinhosamente a plaza del entrevero, pois nos finais de semana sempre tem alguns velhinhos dançando tango – e ficamos lá até o desfile acabar, comprando cervejas de um litro, as tomando no gargalo – mamãe, morra de orgulho – e fazendo amizade com senhoras que provavelmente aos domingos dançam tango na tal praça.
Eu e Manu conhecemos Jeannette, que mora em Pocitos e ficou conosco o resto da noite, conheci também as Glades, duas senhorinhas encantadoras que ficaram entusiasmadas ao poder tocar a bunda de Diego. Hahahaha .
Em um momento acho que o público prestou mais a atenção na gente do que no desfile, pois andamos cerca de uma quadra cantando e dançando “La Bomba” com direito a coreografia sincronizada. Foi muito divertido.
Assim que acabou o desfile viemos para o El Pony Pisador. Nesse momento eu já falava apenas em espanhol, para praticar - dizem que o problema é que eu só falava em espanhol, até mesmo com quem falava português.
O Pony neste dia estava especial. A princípio tinha uma banda de rock, que só tocava música boa. Eu e Manu parecíamos as maiores tietes do grupo e dançamos muito. Foi durante o show dessa banda que inovamos com um passo de dança moderna, sensacional – invejosos vão falar que a moça caiu e foi levantada, porém eu afirmo que ela estava tentando inovar.
Estava todo mundo muito animado e nossa amiga Jeannette ia até o chão com Diego – all the time. As meninas tinham um amigo que sabia dançar salsa muito bem, mas não tinha um dente, tadinho, isso chamou muito a minha atenção e fiquei com muita dó de ver alguém jovem e banguela. Novamente o auge da festa foi quando tocou Sentimiento.
Para encerrar a noite ainda fomos com Juan – um amigo que conhecemos no primeiro dia – a um PUB aqui perto do hostel, onde tocava Rock Uruguaio – ainda não formei minha opinião sobre o local.
Domingo.
Domingo é dia de parque e praia e, assim fizemos. Combinamos de depois do almoço ir até o Parque Rodó. Fomos pela rambla caminhando e conversando, foi incrível perceber como esse nosso confinamento acabou fazendo com que todos ficássemos muito próximos – e em alguns momentos com vontade de mandar alguns para o paredão.
O parque é um charme e passamos boa parte da tarde lá, fazendo um pseudo piquenique, onde eu comi Pancho e dessa vez não foi “reinando” como na Argentina. Saindo do parque fomos a praia que fica logo em frente e, para não retornar para casa sem ter entrado no Rio da Prata, resolvemos nos molhar – depois ficamos nos questionando sobre aquela praia ser limpa ou não. Dessa praia fomos até Pocitos.
Desde que cheguei eu tinha vontade de conhecer Pocitos e ver se ela realmente lembrava Copacabana da década de 20. Como eu não conhecia Copa nessa época devo dizer que parece lembrar – huahuauha. A praia é bem bonita, mas assim que chegamos lá começou uma ventania sem fim e logo ficamos com frio, resolvemos voltar e nos encontrar depois para jantar e assistir novamente ao desfile de carnaval que no domingo seria realizado por escolas de samba aqui do Uruguay – para saber mais acesse o link.
Jantamos no La Pasiva e assisti algumas escolas. Não é Brasil, mas foi bem legal. Eu estava muito cansada e acabei vindo embora sozinha para descansar, afinal nosso final de semana foi bastante exaustivo, porém excelente, como não poderia deixar de ser o último final de semana no Uruguay, bom, pelo menos nosso último até dia 5 de julho que é quando retornamos. =P

Um comentário: