terça-feira, julho 09, 2013

Eu vou rodar o mundo mas aqui é o meu lugar

Sabe quando você tem a certeza de que pode rodar o mundo mas aqui é o seu lugar? É essa a relação que tenho com a minha cidade. Sou apaixonada por viagens, mas sei que nenhum lugar no mundo se compara com o lugar onde nasci. É uma paixão visceral e arrebatadora, mas quais os encantos que fazem a relação com minha terra ser essa? É isso o que eu busquei descobrir.
Muitas vezes viajamos a procura de paisagens deslumbrantes, lugares ricos em história, com sabores irresistíveis e pessoas encantadoras. Buscamos romper fronteiras, tanto as territoriais quanto as do conhecimento, e temos a impressão de que só encontraremos isso a léguas e léguas de distância. Para quebrar esse tabu resolvi mergulhar na história da minha terra para desvendar a Alfredo Wagner que eu ainda não conhecia.
Decidi sentir o prazer de viajar pela minha cidade. Fazendo de cada passeio uma viagem pela cultura de nosso povo, pelas peculiaridades de nossa história e por nossas belezas naturais, aflorando assim o orgulho de ser alfredense e despertando o desejo pelo conhecimento.
O resultado foi maravilhoso, não foi difícil me apaixonar ainda mais por esse lugar. A mistura de cânions repletos de vida, montanhas que parecem obras de artes esculpidas no verde da mata nativa em muitos pontos ainda virgem, imensas quedas d’agua que rasgam as encostas dos morros e, uma fauna invejável com o canto dos pássaros fazendo parte da trilha sonora o tempo inteiro. Sotaques, culturas e tradições que fazem o coração de qualquer um bater mais forte. Nada se compara aos encantos encontrados nas diferenças de nossa própria cidade.
Em todas as conversas ao longo desses meses, uma frase constantemente me vem à cabeça: “Um filho ausente a suspirar por ti”, como diz a velha canção da cidade. Quantos são os filhos dessa terra que suspiram por ela, que guardam na memória, na melhor parte dela, lembranças deste chão, da vida que se levava aqui, ou melhor, da maneira em que se levava a vida por aqui. O antigo Barracão permanece vivo no coração destes alfredenses, que não perdem a oportunidade de exaltar sua terra natal.

O encanto presente nesse chão ainda é um enigma. Os laços com essa terra onde me criei e me transformei serão eternos e nada mais justo do que compartilhar com o mundo esse amor, fazendo com que mais pessoas entendam o significado de ser alfredense. 

3 comentários:

  1. Lindo texto minha querida amiga Carol. Parabéns com "estrelinhas". Adorei!

    ResponderExcluir
  2. Alciria da Cunha Kirst9 de julho de 2013 15:48

    Parabéns Carol, por estas palavras tão profundas e ricas sobre Alfredo Wagner. Confesso que foi gratificante ter a oportunidade de poder ler teu valioso relato vindo do fundo do teu coração sobre esta região tão bela em todos os sentidos. Posso dizer, que sempre tive uma grande admiração por Alfredo Wagner, principalmente por ter nascido na nossa saudosa Barra da Jararaca. E tbém, posso dizer, que cada vez que leio algo escrito por tí relacionado a Alfredo Wagner, fico mais apaixonada por esta bela e magnífica região.

    ResponderExcluir