sábado, janeiro 19, 2013

2008 - São Paulo


A cidade de São Paulo

Não consigo nem contar quantas vezes ouvi histórias sobre ela, contadas por meu avó. A selva de concreto, imensa, onde as coisas aconteciam. São Paulo de Piratini, cenário de A Muralha. A Muralha, minissérie ícone de minha pré-adolescência.  A cidade que aparecia na maioria das  novelas, Rita Lee é de lá, ela e quase uma dezena de amigos, amigos estes que foram me encontrar na rodoviária... três deles pelo menos! =P
Eu estava vindo do Rio e resolvi parar em São Paulo, para conhecer a cidade e também minhas amigas, duas delas até então virtuais.

Cheguei às 3 da manhã lá, mas como não achei justo tirar minhas amigas da cama essa hora, menti que meu ônibus chegaria apenas as 7 ou 8 horas da manhã... Neste meio tempo dormi em uns bancos, deve ter sido a primeira (de muitas vezes que ainda viriam) que dormi em um banco de rodoviária (ou de aeroporto). Quando deu a hora desci e as encontrei.

Rita, Natalia e Mariana (vulga More), foram me encontrar. A More eu já conhecia, desde 2007, á conheci em Floripa, as outras duas apenas eram minhas amigas virtuais, que encontrei é claro, por causa do Kid Abelha. Elas estavam em uma seleta lista de fãs famosos do Kid, já tinham ido a inúmeros shows e tirado muitas fotos com nossos ídolos, além disso as duas são uns amores, divertidíssimas e carismáticas.



15/08 – Desbravado São Paulo Ési Pê

Eu passaria apenas um dia na maior cidade da America Latina, então tínhamos que aproveitar o máximo no curto espaço de tempo que tínhamos. Desbravamos todo o centro da cidade, quase me senti o próprio Dom Bráz.
São Paulo para mim, é uma cidade bastante excêntrica, fascinante em muitos sentidos, porém meio cinza as vezes. A cidade é mundialmente conhecida e exerce significativa influência nacional e internacional, seja do ponto de vista cultural, econômico ou político. Conta com importantes monumentos, parques e museus e muitos desses locais foram visitados por nós quatro neste dia. Entre eles:
Pinacoteca
Parque da Luz
Estação da Luz
Museu Anchieta
Solar da Marquesa de Santos
A Catedral Metropolitana de São Paulo ou Catedral da Sé
Praça da Sé
Bairro da Liberdade
Avenida Paulista
O Museu de Arte de São Paulo (MASP)
Parque Trianon 
UFFA! Muita coisa e ainda almoçamos no Black Dog.

Tiramos muitas fotos, com a câmera nova da Rita, que gente... era meu sonho de consumo.
Iniciamos nosso passeio pela Pinacoteca, mas antes de abrir passeamos pelo parque da Luz, um lugar maravilhoso, cheio de verde e a música que não saia da nossa cabeça era “Será que eu pus um grilho na sua cabeça”... (desta obsessão nasceu até um vídeo, tosco a lot, que você pode conferir no final do texto... meu estado era lastimável, com olheiras visíveis a quilômetros e uma roupa pouco adequada ao clima, sem contar nos calos, que adquiri durante o dia).
A Pinacoteca é um lugar monumental... imenso e maravilhoso, vale a pena visitar. Saindo de lá ainda conheci a Estação da Luz, minha velha conhecida de novelas e minisséries de outrora, adorei colocar meus pés lá e me sentir parte da história. (Sou de Alfredo Wagner gente, sorry).


Saindo da Estação fomos almoçar no Black Dog, um lugar onde tem um cachorro quente imenso e cheio de pimenta! Huahuahuahuahu Pra variar não consegui comer o meu cachorro inteiro e brigaram comigo, pois eu estava reclamando de fome a horas. No caminho, lembro que um mendigo pediu um gole da minha coca, pegou no meu braço e eu educadamente disse que não (poxa, eu também estava com sede e ia ter nojo de tomar no mesmo canudo que ele, sorry.) fato que deixou a Nati em pânico, pois ele tinha encostado em mim, pego no meu braço e me dirigido a palavra. Uhahuahuauha Achei muito engraçado e também percebi como eu não tenho noção do perigo.
Depois do almoço fomos ao museu Anchieta, que fica na praça da Sé. Local histórico, marco da criação da cidade de São Paulo de Piratini, no ano de 1554. O colégio, onde a Moatira morava gente!!! É A Muralha! Que lindo! Quase chorei... verdade... Dom Bráz, Tiago, Beatriz (mãe cândida não, porque ela não saia da Lagoa Serena) tinham estado ali. #Emoção. Tá, tietagem a parte, o museu é bastante interessante e vale a pena visitar.
Na praça da Sé, toquei aquele sino e também conheci a catedral, uma das maiores que já vi, no estilo Neogótico.
Posso ter outro momento tiéti? Depois disso ainda fomos ao Sobrado da Marquesa de Santos, lá eu só pensava na Suzanne, e no quanto ela teria inveja de mim. (No final das contas ela só viu a foto uns 3 anos depois, mas mesmo assim aposto que sentiu inveja. =P). #soudessas
Saímos de lá em direção ao Bairro da Liberdade, e como não é novidade para ninguém, o bairro é todo japonês, desde a arquitetura até os habitantes. =P Lindíssimo, até os bancos (tipo Bradesco, Itaú...) tinham arquitetura japonesa, fato que me chamou muito a atenção. Passamos pela avenida paulista e de lá fomos até o MASP. Valeu a pena viver para ver o céu e a cidade lá de cima. Me apaixonei por aquele lugar, que tinha além da vista estupenda um brisa agradabilíssima. Para completar o dia de passeios, fomos ao Parque Trianon, onde ficamos sentadas em alguns banquinhos, descansando, afinal eu estava um trapo.
Passei na casa da Rita, babei o acervo dela e mais tarde, após um banho, voltei à rodoviária, para retornar a Lages. Pronta para voltar a faculdade e ver o quão prejudicial poderia ter sido essa minha escapadinha no último semestre de aula, pouco antes de entregar o TCC. (Na verdade não perdi nada, mas escrevi isso só pra mostrar o quanto sou rebelde... só que não).



Carol Pereira

Um comentário:

  1. Noooossa, que memória hein? Nem lembrava desse vídeo seu e da Mari...ahauhahaua

    ResponderExcluir