terça-feira, julho 21, 2015

Trekking Serra do Camelo/Lomba Alta

Trekking Serra do Camelo - Santa Bárbara- e passeio Lomba Alta
Hugo em Alfredo Wagner. 

No dia da amizade nada melhor do que escrever sobre a visita de um amigo querido. Nesse último final de semana tive o prazer de receber aqui em Alfredo uma das pessoas que mais quero bem nesta vida, meu grande amigo Hugo. O conheci em um daqueles imensos janelões de 2006 e desde então ele se faz presente em minha vida, desde os momentos mais difíceis até os mais felizes. Pode ser passando fome em Buenos Aires, pulando carnaval no Rio, perdendo a lente, a dignidade ou dublando a Lady Gaga. O Hugo é uma daquelas pessoas que sempre estará ao meu lado.
Ele precisava conhecer Alfredo antes de partir para a nova fase de sua vida, então esse dia finalmente chegou.
Alfredo Wagner é conhecida por todo o Brasil, por ser a icônica cidade onde nasci – ok, pouca gente conhece por esse motivo – mas o fato foi isso que trouxe Hugo até a capital das nascentes. Visita-lo não é nada difícil, ele mora em uma das cidades mais lindas do mundo o Rio de Janeiro, então não é nenhum sacrifício – muito pelo contrário –, mas vir pra Alfredo não é para qualquer um, minha cidade é linda, mas ainda pouco explorada, logo para visita-la tem que ter muito amor envolvido.
Hugo chegou na sexta e logo pode conhecer o Silva Jardim. Essa escola também é um ícone, como é lá que moro – ou quase – todo mundo que me conhece já ouviu falar muito nela e muitas pessoas tem vontade de conhece-la. Depois das devidas apresentações onde Hugo conheceu Dona Vera, minha grande amiga e também Dona Maria, fomos fechar a sexta em um barzinho, onde ele conheceu mais alguns de meus colegas aqui da escola, Charlene e Dona Rosemari.
Quase nunca recebo amigos na minha casa – por N motivos, que não envolvem ser antissocial – então fico meio sem saber o que fazer, mas acho que deu tudo certo!
Hugo é daquelas pessoas que te visita e ainda te da presentes, ganhei toda a coleção de LP’s do Kid, quer presente melhor?
Dormimos tarde e acordamos cedo. Nada como visitar a amiga e ser obrigado a acordar de madrugada para ir para a pós dela! (y) Não bastando isso o Hugo ainda foi obrigado a participar da aula como aluno, participar da dinâmica – vencer – e assistir mais a aula do que eu, já que eu tinha orientação do TCC e precisei ir falar com o professor enquanto ele ficou dentro da sala anotando as coisas mais importantes e respondendo questões para a professora. Muita eficiência! Hugo conheceu meus colegas de pós, entre eles Aldair que trabalha comigo e Ane e Rodrigo que são meus grandes amigos da época da faculdade de Licenciatura em informática.
Após a aula voltamos para Alfredo para o nosso trekking até a Santa Bárbara, mas antes fomos conhecer a casa da Su – e quase toda sua família, conhecer o prefeito e reencontrar Ma. O Hugo e a Su – e a Ma - já se conheciam desde 2013 quando o encontramos no Rio – eu amo quando isso acontece, quando os meus amigos de diferentes núcleos se conhecem.
Na casa da Su tem um imenso jardim e nos fundos, além de araucárias existe uma linda gruta que devido ao excesso de chuva dos últimos dias está com um volume bastante grande de água, o que deixou a paisagem ainda mais linda. Na casa dela também babamos pelo Super Nintendo, e também a coleção de carros antigos do Evandro. Super vintage!
Fomos para a Santa Bárbara com o Fiat 147 da Su – uma aventura a parte – e apesar do receio ele subiu todo o morro sem maiores problemas.
Sem dúvidas a Santa Bárbara é uma das comunidades mais lindas de Alfredo Wagner, a paisagem é esplendorosa, são montanhas, paredões rochosos e um verde sem fim. Deixamos o carro acerca de uns 3 km do local onde faríamos um picnic. No caminho ouvimos histórias horríveis sobres bois assassinos – ou quase isso – e confesso que fiquei um pouco apreensiva, risos.
Escolhemos o local do picnic com vista para o vale, para a Serra do Camelo – cerca de 1370 metros - e para a serra dos Dorigon – cerca de 1388. Nosso picnic foi bem saudável – fitness feelings - a base de cheetos, chocolate e Pureza – um refrigerante típico de Santa Catarina que o Hugo não poderia deixar de experimentar, assim como experimentou a Laranjinha Água da Serra – sabores de Santa Catarina!
Não poderíamos ter escolhido um lugar melhor para a parada, a paisagem era linda em 360º e ainda pudemos apreciar o sol se pondo e embelezando ainda mais o lugar. Como não poderíamos esperar escurecer para sairmos dali aproveitamos o restinho da luz do sol para retornarmos ao carro, mas não seria uma tarefa tão fácil assim. Todo o papo sobre bois assassinos da ida nos fez tremer na base ao encontrarmos 3 deles nos encarando e fechando a estrada na volta, o jeito foi subir um barranco para encontrar uma rota alternativa e conseguir sobreviver ao iminente ataque dos bovinos. Graças a Deus conseguimos e hoje estou aqui para contar essa história. Que Leão Baio que nada, o perigo da serra são os bois. =)
Reencontramos o FIAT 147 e retomamos para Alfredo, na volta ainda fomos brincados por um belo laranja colorindo o céu.
Já no centro era hora de conhecer a vó – outro ícone em minha vida! Minha vó estava ansiosa para conhecer o Hugo, principalmente depois que comentei que ele estava aprendendo alemão. Não demorou muito para percebemos que o alemão de minha vó é um pouco diferente do que o Hugo fala, a pronuncia parece menor, algo como comparar a pronuncia de um gaúcho com um mineiro, mas até rolava uma comunicação. Minha vó adorou meu amigo e depois foram só elogios!
Última programação da noite, jantar com a Mariii. A Mariana é minha amiga de infância e o Hugo não poderia visitar Alfredo sem conhece-la. Fomos ao sushi – parecer do Hugo: bom, porém caro – e depois ao Oasis, um barzinho cool aqui da cidade. Foi ótimo, deu para rir bastante. Sara e Flávio também nos acompanharam.
Domingo era dia de churrasco no jardim – não esperem tanto glamour quanto o nome sugere. Meu padrasto fez um churrasco e Hugo comeu pela primeira vez o pão caseiro e pode conversar com a minha mãe, que ainda não tínhamos encontrado em casa. Após o almoço fomos para a Lomba Alta e João Marcelo nos acompanhou.
Lomba Alta também é uma comunidade tradicional de Alfredo Wagner, repleta de belas paisagem, também foi colonizada por alemães e hoje vive um período de ascendência turística. Nossa primeira parada foi na gruta do Poço Certo. Um lugar digno de Hollywood! Que esteva ainda mais belo nessa nossa visita devido ao volume d’agua. Descemos até o rio e a vista lá de baixo também é contempladora. Lindo.
Do Poço Certo fomos até a Fazenda Campinho, um hotel fazenda que vem atraindo muitos turistas para Alfredo Wagner nos últimos tempos. Também pudera, o lugar é lindo... quando Elis cantava “quero uma casa no campo”, certamente poderia ter o campinho como cenário. Paz e belezas naturais em um único lugar.
Primeira atração: Mirante. Do mirante da de ter uma vista maravilhosa de boa parte de nosso território. Lá de cima é possível ver os campos do Campo dos Padres, a Pedra Branca e até mesmo a Serra do Camelo e a Serra dos Dorigon, que tínhamos visitado no dia anterior.
Segunda atração: Passeio a cavalo. Minha destreza como amazona é um pouco contestável, mas dessa vez tudo ocorreu sem maiores problemas. Os cavalos são bem mansos – muitoooo – e não queriam saber de andar muito rápido, o que para novatos como nós foi uma boa pedida. O passeio levou pouco mais de uma hora, fomos até um mirante de onde pudemos ver parte da Catuíra e daquela região. A vista é linda e o passeio foi bem divertido, principalmente quando o cavalo do Hugo disparou ou quando o João Marcelo teve o momento “Aré quer voar”.
Na comunidade de Lomba Alta que ficam os museus da cidade, o de Arqueologia e a réplica da casa de Alfredo Wagner – nosso patriarca. Na casa de Alfredo Wagner, existem coisas antigas que pertenciam a família Wagner, como móveis, roupas, utensílios domésticos e também muitas fotografias e, em uma delas encontramos o Vó Zé, foi muito engraçada nossa reação – minha e de João Marcelo.
Na volta tomamos café na Lanchonete de minha tia e aproveitamos a parada para que Hugo conhece melhor a Sophia, que estava em uma simpatia só. Ficamos lá conversando e rindo, depois fomos embora, para nosso compromisso noturno com os X-Men.
Momento nostalgia. Eu e Hugo descobrimos a alguns anos que também temos isso em comum, ser fãs dos X-Men e para não deixar isso passar em branco resolvemos assistir alguns episódios da série animada, escolhemos os da Saga da Fenix. É demais! Jean Grey e Wolverine <3 o:p="">
No dia seguinte acordar cedo para trabalhar e para Hugo pegar o bus e retornar para casa, mas antes... mais alguns encontros edificantes ou pelo menos desmistificantes.
Já era hora da despedida. Despidas sempre são difíceis e saber que meu amigo vai estar a um oceano de distância fez meu coração ficar ainda mais apertado, porém sei que esse é um passo imenso em sua vida e nem por um momento fiquei triste e sim ansiosa para essa nova fase em sua vida começar a se cumprir.

Agora é aguardar novos encontros, aqui, ali ou lá na Alemanha. 

Confira o vídeo! 








Nenhum comentário:

Postar um comentário