sexta-feira, janeiro 04, 2013

NYPD - New York Primeiro Dia


Primeiro dia.
Bom, eu poderia estar dormindo, mas assumi um compromisso comigo mesmo, then... vamos lá!
Tudo ocorreu bem durante a viagem, apesar de cansativo o dia 02 foi maravilhoso, passei em São Paulo, junto com Rita, depois fui até o aeroporto, na ida conheci Vinicios, que me fez companhia enquanto a família Soares não chegava. Ao chegarem, aquela vergonha básica né, pois sou bicho do mato e o primeiro contato me é muito custoso, porém são todos muito receptivos e logo me enturmei, apesar de uma fala errônea sobre surf.
O avião que nos trouxe, faz os aviões nos quais já viajei até hoje parecerem tecos tecos, ele era imeeeeeeeeeeeeeenso, a turbina, era maior que um carro, fiquei impressionada. Após atraso de mais de uma hora (passada dentro do avião, no meu caso assistindo Sex and the City 2) partimos, e ao meu lado veio uma americana esfomeada (de cerca de 12 anos), que vibrava na hora das refeições e desconfio que tenha roubado meu café da manhã enquanto eu dormia.
Ao chegarmos passamos bem pela imigração, pegamos nossas malas e Shirley, minha nova amiga, já me aguardava (na verdade ela foi fazer o meu translado, mas durante o caminho simpatizou muito comigo, disse que ela quase pediu meu passaporte pensando que eu não tivesse 18 anos (ganhou meu coração) e abriu o coração dela pra mim, pois o casamento não ia bem e ela precisava desabafar, vejam bem...ela também é brasileira). Na vinda eu já estava deslumbrada , me segurando pra não chorar, pois seria mico e passamos pelo Bronx e depois pelo Queens, eu já queria descer.
Chegamos ao Hotel. O Milford fica no coração de Manhattan (ahauhaua), pertinho de tudo, esperei Paula, Felipe, Mariana e dona Fátima chegarem, para que Paula me ajudasse com a reserva, subimos cada um pro seu quarto, e adivinhem? Obvio que a coisa não podia ser tão fácil assim, e foi neste momento que descobri que devo ter feito aulas de inglês com o Joel Santana.
Quando cheguei ao 2347 a chave não abria a porta, uma plaquinha dizia para não incomodar, uma camareira disse que o quarto certamente estava ocupado e que eu deveria descer, fui para a fila do elevador, e lá já a 20 minutos estava 3 idosos fofos esperando, puxaram papo, eu entendia, mas na hora de responder me enrolava, mesmo assim a senhora ria do que eu falava, e até me abraçou (com pena do meu inglês de certo) enquanto isso, no corredor o autofalante avisou que o alarme de incêndio era falso (como assim, tava tendo um fake incêndio e eu não estava sabendo?? Como eu iria fugir?), depois de uns 10 minutos desci, ao chegar na recepção expliquei com muito custo a moça que tinha gente no meu quarto, ela ligou pra segurança e o mandou vir abrir, quando ele chegou, bateu, avisou que ia entrar e quando entrou constatou que não tinha ninguém, mas o quarto estava sujo, a camareira disse que eu podia esperar ali, então enquanto os outros já me esperavam eu tive que aguardar a moça limpar, trocar roupa de cama para só depois me acomodar e descer.
Quando descemos passeamos pela Times Square e fomos tomar café da manhã em uma cafeteria, no caminho passei pela NYPD joguei papo fora com o pessoal da 12 que estavam por lá (só que não né, mas tirei uma foto em frente a NYPD). Na cafeteria ao terminarmos lembrei que tinha deixado 100 dólares em cima da cama, esqueci de colocar no bolso do casaco, e como Mariana viria até o hotel trocar de casaco vim com ela, ao chegar, meu quarto não abriu, novamente fui até a recepção, me expliquei (ou tentei) e me mandaram de novo com o segurança. Resultado, o segurança demorou quase meia hora, minha sorte foi que encontrei a camareira minha amiga, ela abriu o 2347 e eu troquei para o 2344. Agora minha porta abre, mas não descobri como liga o chuveiro, sou obrigada a tomar agua de banheira (uma banheira igual a da Beckett cof cof cof)
Após o assunto porta travada ser revolvido, seguimos ao Central Park e mesmo ele estando com a paisagem de inverno é de deixar qualquer um boquiaberto, é lindo. Ainda não corri igual a Phoebe, mas ainda o farei. A paisagem é bem nova-iorquina, observamos a pista de patinação, comemos Nuts 4 Nuts e depois fomos babar na loja da Apple, tive que sair correndo de lá, pois já estava tentada a gastar metade do meu dinheiro. Saindo passamos na Best Bay, nova tentação e voltamos ao hotel.
Tomei banho observei o cair da tarde em New York, minha janela emoldura a paisagem e é a imagem de um sonho realizado. A noite fomos ao MC, lá tem internet... mas não levei meu nota, para postar no blog, me arrependi. Depois disso passeamos pela Times e como a dois dias eu não dormia, quando cheguei ao hotel desmaiei na cama, acordei só agora.
Nem acredito EU TO EM NEY YORK. 
Carol Pereira

2 comentários: