terça-feira, dezembro 30, 2014

50 linhas de 2014

Tentar definir um ano em algumas linhas não é uma tarefa fácil mais vou tentar. Esse não foi o ano de minha vida, mas certamente algumas coisas que aconteceram nele vão ser lembradas por mim até o final de meus dias e muitas delas me farão sorrir de orelha.
Neste ano que está chegando ao fim eu ganhei uma afilhada que é a copia da pessoa que mais ano na vida, a Sophia é linda e é cara da vó Neli;
Em 2014 realizei algo que queria fazer a muito tempo e para minha surpresa foi ainda melhor do que eu esperava. Aos trancos e barrancos estamos aí!
Visitei 4 países esse ano, dois deles pela primeira vez;
Exercitei muito o meu inglês em minha segunda vez em New York;
Comecei a gostar do vinho de Buenos Aires;
Conheci a famosa cerveja mexicana;
Andei sozinha pela capital Paulista;
Saltei de parapente e meu apaixonei por mais um ângulo do Rio;
Iniciei meu mestrado e quase me descabelei de tanto estudar;
Enfrentei muita “maresia” no Uruguay;
Eu vivi uma copa no Brasil, ou, pelo menos a metade dela;
Sofri muito com sete gols da Alemanha e foi difícil viver isso na casa do Suarez;
Conheci o El Pony Pisador;
Comi muita sardinha e muito sushi nas terras do pampa sem fim;
Conheci pessoas maravilhosas esse ano, gente que certamente fará parte de minha vida daqui para frente;
A Candida não foi;
Virei por um mês e meio a mania do “like no youtube”;
Fui a regente mais babona de todos os tempos e vivi muitas alegrias junto com os nossos três terceirões;
Criamos uma rádio no Whats, cheia de paródias e diversão;
Existiu uma disputa pela presidência do clube “I hate Carol Pereira Club” e eu tenho algumas revelações que podem deixar a disputa ainda mais acirrada e as participantes com ainda mais ódio;
Eu disse algumas vezes a frase “Ela é duas vezes melhor que eu” mesmo sabendo que é uma inverdade;
Recebi  pela segunda vez o Prêmio Professores do Brasil, do MEC, o que me fez ainda mais apaixonada pela educação;
Fui madrinha de casamento duas vezes, e resolvi rever o cronograma e adiantar meu casamento em um ano, o que me fez ter menos tempo para encontrar meu homem;
Choveu muito na minha horta, mas sou difícil – ou chata;
Minha convivência com meus irmãos ficou muito mais próxima;
Morri de amores e suspirei de paixão;
Ri demais de um saleiro;
Não cumpri minha meta e esse ano li apenas 8 livros;
Pesquisas revelam que em 2014 continuo tendo a vó mais gostosa de todo o mundo;
O ano seria muito bom, mas nem tudo são flores e vai doer lembrar de uma certa avaliação que de construtiva não teve nada e destruiu não só minha alto estima mas também meu coração;
O final do ano foi difícil, mas um mês não pode apagar o brilho dos outros 11 e assim será.
Que 2015 seja um ano ainda melhor do que este que está em seu último dia.
Que meu sorriso seja fácil;
Que eu seja mais esperta e saiba em quem confiar;
Que eu tenha ainda mais momentos daqueles que me fazem sorrir só de lembrar;
Que continue tendo meus amigos ao lado;
Que tenham muita saúde, paz e amor todos que quero bem;
Que 2015 seja melhor do que a encomenda e seja maravilhoso para todos nós.
A gente tem que sonhar senão as coisas não acontecem! E eu sonho muito!






domingo, dezembro 28, 2014

Rádio dos Regentes lindos - Textos

Durante esses últimos meses tivemos uma convivência muito intensa, foram churrascos, praia, parque aquático, encontros no recanto, pizzas, banhos de água e litros e mais litros de vodka... com toda essa vodka a sua rádio do coração terá que relembrar alguns dos momentos marcantes de todos esses nossos encontros. Começando pela praia... o que teve?


Teve gente bêbada andando pela rua e dando vodka para os mendigos

Teve o Duka da malhação em uma versão menos bonita
Teve soldado
Teve o marreta a meio mastro
Teve Eduardo no telhado
Teve fuka dando banho no Sagui
Teve o batmam batendo uma... bom pra mim não
Teve o gordinho gostoso
Teve gente beijando por entre as grades do portão
Teve Marreta taradão
Teve a mãe do Cauan ligando pra saber se ele ainda não tinha se afogado
Teve a tatuagem de Popeye das gurias e aquela coisa que desenharam nas costas do Vitor
Teve macarronada
Teve o Juninho encoxando dona Rose

Teve Marreta vomitando a macarronada
Teve Marreta mergulhando de cabeça e
Teve Marreta de cuequinha branca
Teve Fuka sendo Fuka e fazendo fiasco com os foguetes
Teve Eduardo achando que panela velha é que faz comida boa sendo o terror da terceira idade
Teve som durante toda a madrugada
Teve gente que não ouviu os conselhos do bial e trocou de pele uma semana depois
Teve o cara do Crack engolindo o copo de plástico na praia
Teve o seu Alesandro dançando a pereca suicida

Teve tanta coisa que algumas delas vamos censurar e as levaremos apenas na memória... cenas que certamente serão revividas em nossas lembranças cada vez que agente quiser lembrar de um final de semana onde fomos plenamente felizes.

Continuando nossa sessão nostalgia, vamos para o salto das águas... onde mais algumas cenas marcantes entram para a história.
Eu poderia me referir a Celiane pagando peitinho, a bunda branca do seu Alesandro, a Carol usando um tombo no tobogã para justificar as caipirinhas de antes do almoço, mas as duas imagens que marcaram nosso sábado foram:
1 – Jack fazendo borbulhas de amor dentro da piscina com a garota de Bom Retiro e ...
2 - a foto da protuberância traseira de nossa querida amiga Rosemari, “The goldem Pirikiti”... a bundinha mais conhecida do Whats App de Alfredo Wagner. Toda a equipe da Rádio agradece a Paparazzi Natalia, por essa bela imagem. Obrigada


Seguindo a ordem cronológica chegamos ao nosso churras seguido de balada do Quevedo. O aviso de não se embriagar não serviu nem para os regentes. Dane-se se nas fotos alguns ficaram com cara de bêbado, tínhamos que aproveitar um de nossos últimos eventos juntos. Depois ainda teve um after\before lá na casa do Bruno, o que contribuiu para o nível de álcool aumentar e muita gente não conseguir ir para a balada. Na balada teve dança do acasalamento e bem se via que o amor estava no ar pois os pombinhos Carlos e Ana resolveram trocar saliva e dançarem juntinhos ao palco. #Lovesintheair!



Na festa proporcionada pelos regentes mais queridos, pelos amigos de turma, patronesse e paraninfa teve de tudo.
Teve professora descendo até o chão
Teve gente fazendo novamente a dança do acasalamento

Teve gente sangrando
Teve Policia
Teve Bruno bravo pela primeira vez na vida
Teve Paredão
Teve gente sumindo e voltando disfarçado depois
Teve Funk, sertanejo e até música de corno
Teve vídeo que fez todo mundo chorar e uma saudade que antes mesmo do fim chegar já estava apertando o coração.


Para fechar com chave de ouro esse onze anos – para alguns um pouco mais, não é mesmo minha gente? – ainda tivemos o baile! O melhor baile de todos os tempos! A banda podia até ter um nome estranho mas foi super boa! O pastor mandou lubrificar, o Eduardo não achava as taças, teve quem se enrolou nas mangueiras e dessa vez a dança do acasalamento quase terminou em coito, o after não teve carne, depois não teve grelha e no final não teve gente... dançamos no palco, cantamos, nos abraçamos e realmente não poderia ter sido melhor.
Apesar de ser um ano tumultuado, de gritos, lágrimas e tormento foi um ano maravilhoso que passamos ao lado de vocês, que agora deixaram de ser nossos alunos e se tornaram nossos amigos! Ver a emoção nos olhos de vocês na colação fez com que a gente sentisse que nosso dever foi cumprido, não só como regentes, mas como professores. O terceirão 2014 é uma turma maravilhosa, cheia de peculiaridade e que que tem um lugar guardado dentro do coração de cada um de seus regentes. Parabéns e que a vida continue cruzando os nossos caminhos.
 




sábado, dezembro 27, 2014

Terceiro Ano Inovador

Há uma verdade universal que todos precisamos aceitar... querendo ou não.
Tudo acaba algum dia.
Mesmo tendo esperado muito por este dia, eu nunca gostei de finais...
O último dia do verão...
O último capítulo de um bom livro...
Despedir-se de um amigo próximo....
Mas finais são inevitáveis.
As folhas caem.
Você fecha o livro.

Diz adeus.
Hoje é um desses dias para nós.
Hoje dizemos adeus a tudo que era familiar, a tudo que era confortável.
Estamos seguindo em frente.
Mas mesmo ao estarmos partindo para o futuro, para o resto de nossas vidas, isso dói...
Há pessoas que fazem tanta parte de nós, que estarão conosco haja o que houver.
Elas são nosso chão... nossa Estrela Polar...e as vozes em nossos corações que estarão conosco... e assim será!
Vocês estão fechando um ciclo, um dos melhores de suas vidas. Foram anos convivendo, aprendendo a conhecer o outro apenas pelo olhar. Aqui, ou lá na Limeira vocês conheceram pessoas que irão fazer parte de suas vidas para sempre, mas jamais voltarão a viver com tanta intensidade essa amizade como a viveram aqui.
Como professora foi uma experiência maravilhosa conviver com vocês. Não apenas por ser a primeira turma na qual lecionei – cobaias- ou por terem trabalhado no meu projeto mais bem sucedido, alias, meu não, o nosso projeto Conhecendo Alfredo Wagner, mas sim por terem me escolhido para representa-los e fazer parte desse dia tão especial ao lado de vocês.
Todos vocês sempre terão um lugar especial em meu coração. Eu sempre vou lembrar do Jack, que estava no meu TOP 3 de alunos mais chatos da escola e hoje me enche de orgulho por ter se tornado um bom aluno, dedicado, responsável e quase sempre educado.
O Marcos Gabriel na sexta série queria se motorista de caminhão, depois passou por uma fase onde seria médico e agora está convicto que fará parte da nova geração de cerealistas bem sucedidos da cidade e eu acredito nisso, pois ele tem potencial.
Como não lembrar do Gabriel pequeninho? Sempre foi muito bonitinho, mas precisou de uns “puxões” de orelha para entrar nos eixos, mas não foi uma missão impossível, hoje além de bonitinho ele ainda é um bom aluno.
O Saulinho da Deta. Desde sempre falando em cavalos, em rodeio e sonhando com o dia em que eu vire sua dinda. Se revelou no jornal que fizemos esse ano, com bons textos e dedicação, apenas reforçando a minha certeza de que o que lhe falta é vontade, mas que na faculdade essa vontade vai se manifestar e quem sabe teremos um doutor Saulo.
O Samuel pegou férias mais cedo, mas continua em nossos corações.
Agora vamos falar um pouco das garotas.
Tem a Ataline, que também conheci pequenina pelos corredores da escola, usando óculos e já tendo uma letra linda. O tempo passou e ela passou a arrasar corações, fazendo garotos se estapearem na saída dos transportes. Muito inteligente, esforçada, dedicada, responsável e inteligente também é uma grande aposta para o futuro!
A Tati eu conheço desde de bebe, é a filha do Cidi do seu Osilino e como diz a minha vó “como ta grande essa guria”, pois é, ela também ta se formando e será professora. Fiquei muito feliz ao ajuda-la a fazer a inscrição para a faculdade. Espero que você encontre em sua carreira alunos tão especiais quanto os que eu encontrei.
A Illana! Bom eu não sei por quais cargas d’agua ela vivia falando que era igual uma formiga, aquelas tanajuras. É muito difícil a gente ver ela sem ter um sorriso no rosto. Além de ser uma ótima aluna, ainda tem um excelente gosto musical, o que é muito raro hoje em dia.
A primeira vez que eu vi a Giovana eu estava usando uma roupa linda, vermelha e isso marcou a memória dela – eu jamais lembraria. Ela foi aluna da minha mãe e hoje é uma de minhas melhores alunas, reunindo todas as qualidades que os professores desejam. É uma garota de sorte, pois são raras as pessoas que tem a oportunidade de ter duas professoras desse porte em sua vida escolar! Eu e minha mãe;
Na vida sempre acabamos nos identificando mais com algumas pessoas e não são escolhas racionais, são por afinidade, por convivência, por coração e você Elaine, nessa sala é essa pessoa para mim. Apesar de você ter esse gênio do cão, eu gosto pra caramba de você e espero te ver como arquiteta um dia. Espero também que você lembre do que estou falando agora e me dê um bom desconto, pois precisarei fazer o quarto do Pedro e da Olivia.
Foi um ano tenso. Cheio de alegrias, discussões, decepções, mas acima de tudo amizade. A sala pode ter o clube do bolinha, o grupinho dos CDFs ou os garotos que não saem do celular, mas todos juntos formam o Terceiro ano Inovador. A minha turma!
Parabéns por finalizarem esse ciclo. Me orgulho de vocês e se precisarem de qualquer coisa eu ainda continuarei naquela sala ao lado da secretária e ficarei muito feliz em poder ajuda-los! Vocês sempre serão “Os meus alunos”.